Diante dos inúmeros casos do vírus H1N1 e pelo fato de não ter chegado o inverno ainda (período em que a transmissão é mais intensa), os brasileiros se sentem ameaçados e associam a propagação da #Doença a uma possível epidemia.  

Segundo especialistas do departamento epidemiológico, o vírus da gripe A tem um elevado potencial de disseminação devido aos vários deslocamentos de pessoas em regiões distintas do país. Esse fato pode ser uma das causas que contribuíram para o aumento da doença.

O período requer muita cautela, pois os estudos realizados sinalizam, através dos índices de controle estatísticos, algumas situações consideráveis que confirmam um aumento relativamente incomum para a época, além, de demonstrarem uma elevação dos casos em praticamente todos os estados do Brasil.

Diante dos fatos, foi proposta ao Ministério da Saúde a antecipação para realizar a Campanha de Vacinação, ao menos nas localidades que incorrem em risco para a população, como o Distrito Federal, Goiás, Santa Catarina e São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Essas regiões apresentam casos de contaminação e óbitos superiores, em relação ao mesmo período do ano passado.

Então, vejamos como serão liberados os lotes para o Programa de Vacinação de modo ordenado, segundo procedimentos do Ministério da Saúde:

  • Estado de São Paulo:

Em decorrência da solicitação do próprio governador do estado, a Campanha de Vacinação foi antecipada, tendo início na segunda feira (11), todavia, será aberto o programa para o grupo prioritário, ou seja, aqueles que correspondem às pessoas de maior risco sendo, as gestantes, crianças com idade de 6 meses a 5 anos, idosos, trabalhadores da saúde, os povos indígenas e aqueles portadores de doenças crônicas e que comprometem a imunidade, além dos maiores de 60 anos. 

  • Estado de Goiás:

Tudo indica que a campanha começa na próxima terça-feira dia 12, mas para algumas comunidades do entorno, por ficarem mais distantes, devem aguardar até o dia 18.

O #Governo Federal se manifestou preocupado com a elevação do contágio da ‘gripe A.

Publicidade

Os casos já atingem dez infectados que apresentam a Síndrome Respiratória Aguda Grave. Outro fator levado em consideração foram os casos de seis óbitos confirmados pelo vírus, afirma a Secretaria de Saúde do Estado de Goiás. 

  • Distrito Federal:

Também em decorrência dos vários casos instalados na capital do Brasil, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal decretou estado de alerta, e antecipou o dia 18 de abril o início da vacinação dos vulneráveis. Ressalta-se ainda, que a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, informou que a situação é atípica, fazendo  menção ao vírus H1N1 dos anos anteriores. 

  • Estado de Santa Catarina

Até o momento, a região, já contabilizou 41 casos da síndrome respiratória e dez mortes pelo contágio da infecção do vírus H1N1.

Em conversa, o responsável pela direção do departamento de doenças transmissíveis do governo federal, Cláudio Maierovitch frisou o aumento dos casos, mas segundo  ele, não há indícios que a proliferação continue como em São Paulo, por ser um estado menor.

Publicidade

Quanto à Campanha de Vacinação, a mesma terá início em conformidade com o restante dos outros estados, determinada para o dia 25 de abril. 

Lembrando que, mesmo as pessoas imunizadas podem apresentar os sintomas da gripe, neste caso, sugere-se que procurem o médico imediatamente para detalhamentos através de exames direcionados.

Os sintomas mais frequentes são: febre, acompanhada de dores musculares no corpo, além de dores nas articulações, forte dor de garganta, tosse, dores de cabeça dentre outras. Se, por ventura, sentir falta de ar, febre contínua por mais de três dias consecutivos, desconfortos gastrointestinais e prostração, pode ser indicativo de agravamentos, e deve-se procurar com urgência um pronto socorro mais próximo para atendimento especializado.