De acordo com informações do jornal O Globo em matéria publicada nesta segunda-feira, 11, um homem foi preso na área Central de Brasília carregando em uma mochila cerca de R$ 16 mil. Segundo o site Metrópoles, o indivíduo identificado como José Carlos dos Santos estava em uma manifestação do Movimento dos Sem Terra (MST) que apoiava a presidente da república Dilma Rousseff. A noite na capital do país foi de protestos após o parecer da Comissão de #Impeachment ter sido favorável à deposição da líder petista. 

Ainda no começo do protesto, o homem chamou a atenção por estar em uma esquina e sozinho. Os militares então, desconfiados com a situação, decidiram vasculhar sua mochila com o intuito de ver se ele carregava as chamadas armas brancas, como facas e estiletes, ou então outros acessórios que poderiam causar algum prejuízo a quem estava no local.

Publicidade
Publicidade

Os policiais então se surpreenderam ao achar uma mochila lotada de dinheiro. Nas redes sociais, muita gente publicou imagens do homem dizendo que o dinheiro seria para pagar manifestantes. Ele, no entanto, negou essa informação, dizendo que a grana era de uma causa trabalhista que ele acabara de sacar no banco. 

Como a história não convenceu muito, José Carlos foi detido pelos policiais e levado até à delegacia mais próxima. Como o dinheiro estava dividido em muitas notas de valores diferentes, os agentes tiveram dificuldades para chegar a seu montante. Inicialmente, falou-se que ele carregava R$ 13 mil, mas depois o valor foi atualizado para R$ 16 mil. 

Segundo informações de O Globo, o homem não conseguia explicar bem as coisas, mostrando um raciocínio desconexo e parecendo estar bêbado.

Publicidade

Ele disse também que não estava na capital brasileira para participar de nenhuma manifestação, mesmo que estivesse em um protesto e olhando o que acontecia. Ele negou ainda que o dinheiro fosse utilizado para pagar alguns manifestantes. Por falta de provas, o indivíduo acabou sendo liberado horas depois. Existe a suspeita que ele possa ter roubado o dinheiro de um motoqueiro, mas a informação ainda é checada pelos policiais militares.  #Lula #Dilma Rousseff