O fim da manhã deste domingo, 10, foi de grande tensão em volta do Palácio do Planalto, em Brasília. O local utilizado para eventos com a presidente da república Dilma Rousseff foi o palco de um ato de desespero. Do lado de fato do Palácio, um homem de aproximadamente 50 anos e que não teve o nome identificado colocou fogo em seu próprio corpo. De acordo com informações do site do 'Correio Braziliense', o homem teve até 90% do corpo queimado. Além do Corpo de Bombeiros, a polícia militar e a guarda presidencial chegaram a ir ao local. Como estava sem documentos e visivelmente fora de si, ainda não é possível saber de quem se tratava o homem. 

Segundo policiais, o homem gritava pelo nome da presidente #Dilma Rousseff, dizendo que queria falar com ela.

Publicidade
Publicidade

Não se sabe ainda se seria um protesto de cunho político (já que vivemos uma crise nessa pauta) ou se a vítima estaria sofrendo por problemas psicológicos. Para colocar fogo no próprio corpo, ele utilizou gasolina. 

De acordo com testemunhas que chamaram os bombeiros, teria realmente sido o homem que jogou um líquido em seu corpo e depois ateou fogo. Pessoas que estavam no local disseram também que tudo aconteceu por volta das nove horas da manhã. Antes das dez, agentes já estavam perto do Palácio para prestar os primeiros atendimentos à vítima. Ao chegar no local, no entanto, as chamas já haviam sido combatidos. Os próprios pedestres, utilizando um extintor de incêndio salvaram a vida do homem revoltado. Ele chegou a ficar inconsciente no chão, mas depois, ao despertar falava frases desconexas. 

Segundo policiais militares, o homem seria um morador de rua, que há três dias decidiu dormir no gramado perto do prédio presidencial.

Publicidade

Ele não explicou porque decidiu ficar ali. Magro, branco e com barbas e cabelos cumpridas, a vítima agora está à espera de seu reconhecimento, ou de que familiares aparecem no Hospital Regional da Asa Norte, onde ele foi internado. De acordo com as primeiras informações, o senhor de 50 anos passa bem. Ele recebeu medicamentos para aliviar as fortes dores que estaria sentindo.  #Lula #Impeachment