Seu nome é Gregorio Duvivier e pelo nome talvez muita gente não se lembre quem é, mas se trata de um ator do canal de humor do Youtube, ‘Porta dos Fundos’, que muita gente 'adora', principalmente quando zombam de alguém de forma satírica.

Além de ator de humor, o rapaz possui uma coluna no jornal ‘Folha de S. Paulo’ e foi justamente nesse periódico que gerou grande polêmica. Gregorio questionou por qual motivo as pessoas que não foram para as ruas reclamar do aumento das tarifas dos transportes públicos ou contra Cunha, decidiram protestar pela saída de Dilma, que seria a única inocente da situação política brasileira.

Segundo o colunista, a presidente não foi citada na lista da delação de Odebrecht, logo não passa por nenhuma investigação e não tem motivo para sofrer o desgaste de um processo de #Impeachment.

Publicidade
Publicidade

O humorista chamou a situação de ‘fascismo midiático' e orientou que as pessoas tenham paciência para entender que um impeachment colocará ‘uma raposa para cuidar do galinheiro’, em referência à Michel Temer, que rompeu com Dilma nessa terça-feira, 29, juntamente com o seu partido, PMDB.

O que o humorista e colunista se esqueceu e foi lembrado por alguns internautas é que Dilma não foi citada na delação de Odebrecht, mas foi citada na delação de Delcídio, além de ter realizado as ‘pedaladas fiscais’ e de tentar blindar Lula da prisão, que é seu amigo pessoal e correligionário.

Embora a consumação do impeachment seja apenas uma questão de tempo, não serão protestos contra ou pró que irão barrá-lo ou efetivá-lo, mas sim o julgamento do mesmo, que será com base nas provas apresentadas na petição do pedido, bem como nos argumentos da defesa e acusação e possíveis novas provas, para enfim chegarem a um veredito, que virá somente após o caso ser aprovado pelas duas casas: Câmara e Senado.

Publicidade

Apesar do impeachment ser sofrido pela presidente, o rito segue as mesmas formalidades de ampla defesa de outros processos, logo, se desesperar com antecedência só mostra duas coisas: falta de equilíbrio e ausência de argumentos convincentes para evitar uma sentença condenatória.

Logo políticos, artistas e anônimos estão perdendo amigos, fãs e até oportunidades de trabalho porque saem em defesa de um governo ou generalizam que todo mundo é da ‘turma do mal’, enquanto poderiam deixar de ficar do lado de um político para ficar do lado do Brasil.

Políticos entram e saem do Congresso, Câmara, Assembleias e Planalto, mas o Brasil fica, o povo fica, os erros infundados ficam, e aí, quem resolverá a situação? Os políticos? Não, será cada um por si! E então, terá valido a pena manchar a carreira com pensamentos convencionais do momento?

Monica Iozzi, Abreu, Leandra Leal, Duvivier e cia até possuem seus talentos, mas com as polêmicas em que têm se envolvido, corre o risco da grande massa ‘cega de antigamente’ não enxergá-los após esse terremoto político cessar. #Dilma Rousseff #Viral