A funkeira Ludmilla ressuscitou um lamentável episódio que aconteceu no Carnaval deste ano, quando a socialite Val Marchiori foi acusada de tecer comentários racistas durante a transmissão ao vivo realizada pela RedeTV!. De acordo com informações do portal de notícias UOL, em reportagem publicada nesta terça-feira, 19, a cantora está processando sua rival. O processo está correndo na terceira Vara Cível da Ilha do Governador, bairro do Rio de Janeiro. Nele, Ludmilla quer deixar o bolso de Val mais vazio, solicitando danos morais.

Em fevereiro, Marchiori criticou um penteado feito por Ludmilla, dizendo que seu cabelo estava parecendo um "bombril", comparando então as madeixas da profissional da música com a esponja de lã de aço.

Publicidade
Publicidade

Na época, o caso foi tratado como mais uma das fofocas ao estilo 'TV Fama', mas bastou o dia seguinte para campanhas nas redes sociais solicitarem que Val e a RedeTV! fossem punidas. Isso porque a emissora não interrompeu os comentários, tampouco os criticou em seguida. 

Após diversos meios de comunicação, como a própria Blasting News, adiantaram que a funkeira pretendia processar a socialite. Ela então decidiu se pronunciar e pedir desculpas públicas sobre o episódio.  "Adoro o jeito que ela faz e acontece e nunca ia querer magoá-la ou ofendê-la de alguma forma", disse a comentarista do Carnaval da RedeTV. Em seguida, Val continuou a tentar contornar o comentário preconceituoso que fez: "Por isso, peço desculpas". O pedido foi realizado através da internet. Já em entrevistas, Marchiori negou ser jornalista e lembrou que criticou outros looks, de homens, mulheres brancas e etc eque só estava opinando sobre o penteado.

Publicidade

Recentemente, uma esponja com cabeço black power também foi alvo de protestos em todo o país. Isso porque o objeto ao estilo anos 1980 era utilizado para lavar a louça dentro do 'Big Brother Brasil'. Um dos participantes, Ronan, chegou a tirar o objeto de cena, preferindo utilizá-lo como um microfone e relatando que o caso poderia ser visto como racismo. A Globo negou que tenha sido preconceituosa e avisou que bonecos de outras cores e com outros cabelos  seriam colocados no 'BBB'.  #Crime #Investigação Criminal