De acordo com informações da coluna do jornalista Lauro Jardim publicada neste domingo, 17, no jornal O Globo, a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já planejam viajar para o exterior caso o impeachment passe na Câmara dos deputados, fato que é o mais previsto para este domingo. A  sugestão teria partido do advogado Sigmaringa Seixas, que está sendo ouvido pelo Partido dos Trabalhadores (#PT) nesse momento tão difícil para a legenda. De acordo com o advogado, o melhor é passar os até 180 dias em que o processo de Dilma estará no Senado lutando contra o impedimento na comunidade internacional. 

Com isso, os dois petistas devem fazer viagens para os Estados Unidos e a Europa, marcando encontros com líderes mundiais e dizendo que está ocorrendo no Brasil um "golpe" de estado.

Publicidade
Publicidade

A eles será pedido a articulação política e um apoio internacional. É bom dizer que os dos presidentes já tem feito isso aqui no Brasil e antes mesmo da votação do impeachment ser efetuado. Lula e Dilma tiveram diversas entrevistas com veículos internacionais, tentando explicar que a oposição está querendo tomar o poder e para isso imputa crimes inexistentes à presidente da república. 

Caso isso ocorra, representantes da oposição também podem mostrar da mesma estratégia, lembrando que a constituição brasileira está sendo seguida e que desde o ano passado tramita o processo contra Dilma na Câmara e que não julgá-la pelos crimes é que seria "golpe". A oposição deve lembrar ainda que a população e todas as pesquisas mostram um crime desfavorável para a presidente petista.

A expectativa é que hoje pelo menos 300 mil pessoas estejam na Esplanada dos Ministérios.

Publicidade

Elas serão divididos em um enorme muro. Os favoráveis ao impeachment estarão do lado direito, os contrários do lado esquerdo. No meio das manifestações estarão três mil policiais, que ainda serão auxiliados por helicópteros e drones. Para que o impeachment passe na Câmara são necessários 342 votos. Caso isso ocorra, ele irá para o Senado.  #Dilma Rousseff