Centenas de pessoas estão reclamando na internet devido a uma informação passada pelos metroviários da capital federal, Brasília. Neste domingo, 17, quando acontecerá a votação pelo #Impeachment da presidente da república Dilma Rousseff, o transporte público de massa não funcionará. São esperadas mais de 300 mil pessoas na região, que vão precisar andar bastante para chegar a Esplanada dos Ministérios. Perto de lá está localizado um muro. Do lado esquerdo, ficarão os manifestantes de esquerda a favor do Partido dos Trabalhadores (PT) e contra o "golpe". Do lado direito ficará o grupo pró-impeachment

Braços Cruzados em dia histórico

A decisão sobre suspender as atividades neste dia foram anunciadas na noite desta sexta-feira, 15.

Publicidade
Publicidade

Os profissionais do metrô alegam falta de segurança para trabalhar em um dia tão tenso e com uma multidão tão grande. O governo estadual do Distrito Federal não gostou da iniciativa dos metroviários e decidiu entrar na justiça, através do Tribunal Regional do Trabalho. Os governantes do DF acharam a medida do metrô abusiva.

A Companhia que cuida do serviço de transporte de massa não conseguiu convencer seus trabalhadores a irem para o serviço no dia da manifestação. Por isso, as estações do chamado serviço "modal" não abrirão durante todo o dia dos protestos. Em nota, Marcelo Dourado, diretor-presidente da empresa Metrô-DF disse que a decisão é para proteger o patrimônio público, já que o resultado das manifestações é imprevisível. "Não podemos arriscar", disse ele. 

Na internet, muita gente reclamou.

Publicidade

"Este sindicato dos metroviários deve ser petista. Como podem deixar de trabalhar justamente quando o povo mais precisa?", disse um internauta ao compartilhar a notícia sobre o caso no Facebook. 

Já a Secretaria de Mobilidade do Distrito Federal disse que haverá mais ônibus na capital para evitar que os manifestantes sofram com a falta de transporte e possam ir e voltar dos protestos. Outra polêmica que gero

O Muro da discórdia ou da segurança? 

Outro assunto que está gerando grande repercussão é um grande muro que está localizado perto do Congresso Nacional. De cada lado, estará uma opinião a respeito da presidente. À esquerda os contra o "golpe". À direito os a favor do impeachment.  No meio do muro, entre as manifestações, estarão três mil policiais militares, que cuidarão de cerca de 300 mil manifestantes em um dia que promete entrar para a história.  #Lula #Dilma Rousseff