Manifestantes petistas não gostaram do discurso que a presidente da república #Dilma Rousseff fez nesta sexta-feira, 22, na Organização das Nações Unidas (ONU). Nas redes sociais, o fato da líder petista não ter falado que há um "golpe" no Brasil, ou pelo menos fazer um discurso mais duro contra seu processo de #Impeachment, acabou se revelando uma "submissão" à oposição. Reproduzo a seguir a fala de um amigo jornalista sobre o assunto. O nome dele não será revelado para não atrapalhar seu trabalho profissional. "Devidamente enquadrada pela oposição e membros do Supremo Tribunal Federal (STF), Dilma baixou a cabeça e amenizou o discurso da ONU.

Publicidade
Publicidade

Talvez ela acredite que isso pode ajudá-la de alguma forma. É o que o Partido dos Trabalhadores (PT) faz durante 13 anos, bovinamente, ao ficar de quatro para a direita", detonou ele. 

Outros petistas tentaram entender o lado da presidente. "Um discurso adequado para o momento e para o local. Dilma mostra que não estava desesperada e que há outras oportunidades para denunciar o golpe", disse um professora no Facebook. A fala sobre o "golpe" foi antecipada por toda a imprensa brasileira e até repercutiu no exterior. De acordo com o colunista político Gerson Camarotti, da Globo News, o discurso de Rousseff foi alinhado ao momento (afinal a conferência da ONU é sobre acordo climáticos e não sobre a crise no Brasil) evitando futuros problemas para a petista. Líderes partidários, como Marina Silva, chegaram a publicar artigos em forma de "denúncia" sobre a suposta fala de Dilma.

Publicidade

Até mesmo Ministros do STF criticaram a política, chamando esse tipo de atitude de gravíssimo equívoco. 

No discurso, Dilma citou por menos de trinta segundos a crise política no Brasil, dizendo que os brasileiros não permitiriam governos autoritários e que não haveria retrocesso no país. No momento em que esta reportagem estava sendo fechada, Rousseff se reunia com jornalistas na casa do embaixador Antônio Patriota, que foi organizada às pressas para sua chegada. Ao todo, dez veículos da imprensa internacional foram recebidos. Repórteres brasileiros tiveram a entrada proibida. O conteúdo da fala da petista ainda não foi divulgado.  #Crise-de-governo