Parte da investigação envolvendo o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva na Operação #Lava Jato está sob segredo de Justiça. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (7) pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki após o juiz federal Sérgio Moro encaminhar ao Supremo as gravações que envolvem pessoas com prerrogativa de foro captadas durante o monitoramento do ex-presidente feito pela Polícia Federal.

Os diálogos vieram a público após a decisão do juiz federal Sérgio Moro de não manter as investigações como sigilosas. Na ocasião, Moro afirmou ter como prerrogativa o fato de que a presença da presidente Dilma Rousseff e de alguns ministros e parlamentares haviam ocorrido de forma fortuita durante a investigação de pessoa sem prerrogativa de foro, no caso o ex-presidente #Lula.

Publicidade
Publicidade

A medida de Zavascki é um desdobramento da decisão tomada pela Corte de manter sob posse do Supremo todas as investigações relacionadas a Lula por conterem o registro de conversas envolvendo a atual presidente da República. Antes desse posicionamento do STF, Moro reconheceu ter exercido um entendimento incorreto da questão ao não manter o sigilo de parte dos áudios.