A votação do impeachment da presidente da república Dilma Rousseff acontece apenas neste domingo, 17, mas os trabalhadores de diversas regiões o país tiveram suas vidas estagnadas desde esta sexta-feira, 15. Isso porque manifestantes pró Partido dos Trabalhadores (PT) decidiram interromper o trânsito em diversas cidades brasileiras, como São Paulo e o Rio de Janeiro. Na maior cidade do país, por volta das sete da manhã, a Ponte das Bandeiras e o Viaduto do Chá chegaram a ser completamente fechados. Em outro ponto da cidade, na rodovia dos Imigrantes, outro grupo pequeno da Central Única dos Trabalhadores (CUT) também protestava. Ambos protestos eram acompanhados pela Polícia Militar e também pela Companhia de Engenharia de Tráfego, a CET.

Publicidade
Publicidade

No interior, protestos promovidos pelo Movimento dos Sem Terra (MST) já ganhavam a manhã. O foco mesmo das manifestações do Movimento está prevista para domingo, quando acontece a votação do #Impeachment na Câmara dos Deputados. Também neste dia, um grande protesto está sendo esperado para ser realizado em Brasília, na capital do Brasil. Um muro foi construído na Esplanada dos Ministérios. Esse servirá para separar grupos contra e a favor da líder representante do Partido dos Trabalhadores (PT). De acordo com diversas contagens informais feitas por veículos de comunicação e também pela oposição, Dilma perderá na votação fatídica.

Por conta do momento histórico, praticamente todos os canais brasileiros terão uma cobertura especial do episódio, ou seja, o público terá o direito de ver o que acontecerá com a petista ao vivo.

Publicidade

A votação começa às 14h e pode varar a noite, terminando às 21h. Assim que acabar a votação, não importando a hora, minutos depois entrará na TV Globo um 'Fantástico' especial, que só terá a cobertura jornalística como assunto. O canal tomará a mesma atitude que teve em 1992, quando cobriu em peso o impeachment do presidente Fernando Collor de Mello. Na reta final, Collor acabou renunciando, mas tudo o que aconteceu depois também foi notícia de destaque. #Lula #Dilma Rousseff