E uma sessão no Senado começou em clima de confusão nesta quinta-feira, 28. Na mesa da instituição, Adolfo Pérez Esquível, argentino vencedor do Nobel da Paz em 1980, fez um breve discurso. A fala que era para ser de apenas abertura dos trabalhos acabou sendo um discurso a favor da presidente Dilma Rousseff, com quem Esquível havia se reunido horas antes. Ele se disse estar muito preocupado com um possível golpe de estado e acabou irritando muitos parlamentares, que gritaram que ali não era palanque do Partido dos Trabalhadores. A fala do Nobel da Paz foi autorizada pelo Senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul, que presidia a mesa. Até Paulo pediu desculpas pela fala, dizendo que foi pedido ao Nobel da Paz que não se pronunciasse sobre a questão do #Impeachment

Adolfo Pérez Esquível comparou o processo de impeachment de Dilma com as crises que passaram o Paraguai e Honduras, dizendo que a mesma metodologia estava sendo utilizada em território tupiniquim.

Publicidade
Publicidade

Ana Amélia, Senadora do PT que estava ao lado do Nobel da Paz, lembrou a ele que todos ali estavam cumprindo a constituição brasileira. Cristóvão Buarque disse que o golpe tinha sido dado ao analista argentino e que a notícia ia pegar muito mais em seu país. "Deram um golpe no Esquível", mencionou Cristóvão sobre como a questão seria noticiada na Argentina. Ele ainda disse que dizer que o impedimento de Dilma era golpe seria o mesmo que dizer que o Brasil é realmente uma pátria educadora, citando o slogan do governo federal. 

Veja abaixo o discurso do Senador:

Ronaldo Caiado, do Democratas Goiano, foi ainda mais incisivo: " Não vou admitir que a Mesa do Senado se transforme em palanque do PT". Quem ficou irritado com Caiado foi um Senador Petista, Humberto Costa, eleito por Pernambuco. Com o dedo em riste ele se posicionou contra o rival.

Publicidade

Já o presidente da mesa pediu calma aos dois. Mesmo sendo do PT, ele lembrou que o Nobel da Paz não estava autorizado a falar do impeachment, mas que apenas era para ele ter feito uma saudação. 

Veja abaixo o vídeo com o momento do discurso do Nobel da paz:

O #Dilma Rousseff