Neste fim de semana, um grupo de mais de 300 jornalistas de todo mundo começou a divulgar documentos conseguidos na chamada 'Panamá Papers', maior investigação jornalística da história. Os mais de onze milhões de documentos expõe mais de 140 autoridades. Dentre elas, doze são líderes políticos, como o presidente russo Vladimir Putin e o chefe de estado da Argentina, Maurício Macri. Os documentos foram descobertos com o Mossack Fonseca, um escritório localizado no Panamá, no qual suspeita-se que ele ajudasse os nomes envolvidos na divulgação em esquemas de corrupção e de renúncia fiscal. Amigos ligados ao presidente russo, por exemplo, teriam enriquecido de maneira fabulosa, ganhando em pouco mais de um ano mais de dois bilhões de dólares. 

No Brasil, outras autoridades são citadas.

Publicidade
Publicidade

Ao todo, 70 países fazem parte do consórcio jornalístico,  cujos direitos autorais em nosso país estão com o UOL, o Estadão e com a RedeTV!. Além dos políticos, atletas e artistas são citados, como os jogadores de futebol Lionel Messi e Michel Platini. O jogador do Barcelona e seu pai, Jorge, que também trabalha como seu agente comercial, são proprietários da empresa 'Mega Star Enterprises Inc', que foi registrada no Panamá. A suspeita e que o registro no país tenha servido para enganar o fisco da Espanha, evitando assim pagar o imposto de renda local. 

Messi e seu pai são acusados de sonegarem mais de quatro milhões de euros só de direitos de imagem do jogador entre os anos de 2007 e 2009. Se o #Crime for comprovado, além de pagar o valor devido e uma multa astronômica, os dois podem ficar até 22 meses presos.

Publicidade

Recentemente, o jogador de futebol brasileiro Neymar recebeu uma acusação parecida. 

Quem também é citado na 'Panamá Papers' é o ator Jackie Chan, muito conhecido por filmes como 'O Terno de Dois Bilhões de Dólares'. O profissional da dramaturgia de Hong Kong é proprietário de seis empresas diferentes, todas elas localizadas nos chamados paraísos fiscais. Suspeita-se que ele também usasse o escritório panamenho para o ajudar a esconder valores devidos ao fisco americano.  #Investigação Criminal