Um perfil do Facebook, aparentemente fake e cheios de 'juras de amor' ao governo, publicou um vídeo que está dando o que falar na rede mundial de computadores: um mulher hostiliza o deputado federal Tiririca pelo simples fato do mesmo ter votado à favor do #Impeachment de Dilma Rousseff.

A mulher o aborda no aeroporto onde o chama de 'golpista safado', perguntando se ele não se envergonhava do seu voto, ocasião que Tiririca apenas olha para a agressora, sem deixar de caminhar e diz: 'É a opinião da senhora' e lhe deixa falando sozinha. O vídeo é cortado em seguida.  A primeira conta no Facebook a publicar o vídeo foi a de Chris Pacheco, apontada como autora do mesmo.

Publicidade
Publicidade

Em pouco tempo, o ocorrido se tornou #Viral e Tiririca ganhou diversos defensores na internet. Mesmo que o deputado do PR (Partido da República) não tivesse votado a favor do impeachment, o processo teria sido aprovado da mesma forma, pois recebeu um total de 367 votos, vinte e cinco a mais do que o necessário para a aprovação. Já os que são contra, totalizaram apenas 137.

Assista ao vídeo do ocorrido:

Pânico: a cartada final

Dois dias antes da votação do impeachment, Dilma gravou um vídeo, que foi disponibilizado nas redes sociais, onde chegou a amedrontar os dependentes do Bolsa Família, alegando que o programa, criado por Ruth Cardoso durante o governo de FHC, iria acabar com a chegada de Temer. Também disse que direitos conquistados e programas como o 'Minha Casa Minha Vida' e até a educação, estariam ameaçados.

Publicidade

Antes disso, na quarta-feira, 13, a ABIN anunciou que o Brasil foi ameaçado pelo Daesh, também conhecido no Brasil como Estado Islâmico (Por terem proclamado um Estado Islâmico em territórios da Síria e Iraque). A ameça deixou muita gente cismada, uma vez que a mensagem foi enviada em uma rede social pouco depois dos ataques de Paris em novembro do ano passado e só depois de cerca de cinco meses que a notícia vem à tona pela agência de inteligência.

Durante discurso da comissão do impeachment, Jair Bolsonaro apresentou argumentos que merecem no minimo serem conhecidos e analisados para comprovar a sua denúncia de que o governo planeja realizar ataques no país no caso da efetivação do impeachment e já deixou o 'recado dado' com a notícia da ABIN para que a culpa recaia contra os jihadistas. Caso você não tenha assistido ao vídeo com os argumentos do deputado do PSC, clique aqui.

Fim da linha

Quanto ao impeachment, a consumação do mesmo é mais certa do que enquanto estava apenas na Câmara dos Deputados, pois no Senado, a maioria dos senadores representam oposição ao governo, sendo onze deles só do PSDB. A presidente da república continua tentando lutar contra o tempo para reverter a situação, mas até mesmo nomes influentes do PT acham improvável se obter sucesso nessa tentativa. #Crise-de-governo