No meio da semana, fotos de bolivianos chegando à Brasília para protestarem a favor da presidente Dilma Rousseff ganharam as redes sociais. Sobre essa ofensiva, a Polícia Federal decidiu anunciar um comunicado neste sábado, 16, dizendo que estrangeiros que forem flagrados protestando contra o #Impeachment serão presos e em seguida deportados para seus países de origem. O comunicado foi enviado à imprensa pela Fenapef, Federação Nacional dos Policiais Federais. A nota aparece em um momento tenso para o país, na véspera da votação do impedimento de Dilma, que acontece neste domingo, 17, na Câmara dos deputados.

A suspeita de que bolivianos estariam no país para apoiar a líder petista e um áudio da polícia que diz que outros estrangeiros viriam ao Brasil pelo movimento contra o impeachment criou um alerta geral na Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Luis Boudens, presidente da entidade que organiza os policias federais lembra que os direitos políticos são uma das últimas coisas que estrangeiros adquirem depois de já terem o visto de permanência no país, que o dirá quem vem a terras tupiniquins apenas para turismo.

Luis explica que a lei brasileira traz claramente que estrangeiro não pode participar de passeatas, encontros, reuniões ou qualquer tipo de ato político. A pena para isso é de detenção de até três anos, além de expulsão do território nacional. Boudens esclareceu ainda que a preocupação da entidade é defender o país e que se estrangeiros forem pegos apoiando o impeachment, ou seja, sendo contra a presidente Dilma, eles sofrerão a mesma punição. "A nossa preocupação não é sobre o 'lado' que os estrangeiros poderão escolher. Vale para todos", explicou o representante da Polícia Federal. 

A expectativa do governo estadual do Distrito Federal é que pelo menos 300 mil pessoas estejam neste domingo, 17, na região da Esplanada dos Ministérios.

Publicidade

Por conta disso, três mil policiais foram convocados para prestarem serviços no local. Um enorme muro também foi montado, evitando que os manifestantes contra e a favor da presidente entrem em confronto. Caso a previsão da votação se cumpra, faltam menos de 24 horas para o início da votação, prevista para às 14h.  #Lula #Dilma Rousseff