Neste sábado, 23, um grupo de manifestantes do coletivo 'Desvio' realizaram um performance em frente ao Masp, em São Paulo, que tem gosto bem duvidoso. Eles colocaram fotos de deputados federais que votaram a favor do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (no último dia 17) e simplesmente começaram a cuspir nas imagens. Um dos representantes do movimento, de acordo com o jornalista Reinaldo Azevedo, seria Marcos Bulhões, que tentou explicar no Facebook o objetivo da performance: “criar ações performativas engajadas socialmente, reagindo aos constantes golpes contra a recente e parcial democracia brasileira”.

A escolha dos políticos foi relativamente fácil.

Publicidade
Publicidade

Todos aqueles deputados federais que votaram a favor do #Impeachment e que tem a ficha suja foram cuspidos. Os que votaram contra e também são fichados foram poupados. Oficialmente, o grupo nega que seja pertencente ao Partido dos Trabalhadores (PT). A política do cuspe tem repercutido bastante nos últimos dias. O primeiro a ficar mais famoso com a cusparada foi o deputado federal Jean Wyllys, do PSOL do Rio de Janeiro, que não gostando da presença de Jair tomou uma atitude mais agressiva. Bolsonaro citou durante seu voto o coronel Ustra, um dos maiores torturadores da ditadura. A revolta do cuspe, no entanto, segundo Jean, seria porque Jair teria pego em seu braço e dito que ele "queima a rosca', já que o deputado é sabidamente homossexual. 

Outro que rendeu muito no fim de semana por cuspir nos seus opositores foi o ator José de Abreu.

Publicidade

Nesta sexta-feira, 22, ele entrou em um embate com um casal em um restaurante japonês de São Paulo. Imagens de um vídeo no Youtube mostram o profissional da dramaturgia cantando o hino nacional brasileiro, enquanto cospe no homem e depois na mulher que estava no local. No Twitter, o contratado da Globo disse que foi chamado de ladrão e sua esposa de "vagabunda" por estarem usando dinheiro que veio do PT para terem uma boa vida. O ator negou que receba qualquer quantia da legenda e não se desculpou pelo feito. Ele disse até que processaria o casal que foi cuspido, a quem ele adjetivou como "fascista" e "covarde".  #Dilma Rousseff #Crise-de-governo