Se depender do comitê do Partido Progressista (PP) no Paraná, a presidente Dilma Rousseff será deposta. Isso porque neste sábado, 09, faltando dias para a votação fatídica do impeachment na Câmara dos Deputados, os parlamentares paranaenses do PP decidiram formalizar que são contra o governo. A decisão é vista como corajosa, já que a legenda nacionalmente ainda mostra seu apoio à Dilma. De acordo com o deputado federal Dilceu Sperafico, que presidente a legenda no Paraná, o fim do mandato da presidente fará a economia e a política do Brasil melhorarem. 

Dilceu ainda chamou o atual momento do país de uma barbaridade e disse que tudo está ficando cada vez mais grave.

Publicidade
Publicidade

Em seguida, ele falou abertamente que é a favor do #Impeachment, assim como outros colegas do estado. Apesar de não ser um dos maiores partidos, o PP é visto como muito importante para Dilma nesse momento. Para que ela barre o seu processo de impedimento, teoricamente, não existe grandes dificuldades, já que ela necessita apenas de um terço dos parlamentares para isso. No entanto, nos últimos dias o placar se mostrou acirrado e informalmente já se fala que faltam pouco mais de 20 deputados para o impeachment de Rousseff passar pela Câmara e ser enviado ao Senado. 

O deputado disse ainda que a decisão foi pensada e que teve a consulta de outros parlamentares e integrantes do partido no Paraná. Tudo foi realizado através de vídeo conferência. Neste sábado, outro deputado federal, Ricardo Barros, também se manifestou contra a presidente.

Publicidade

Ele utilizou o Facebook para mostrar  seu posicionamento. E olha que ele chegou a receber ofertas de cargos no governo Dilma depois da saída oficial do PMDB da base aliada do governo. Agora acreditasse que pelo menos 15 deputados do PR devem votar contra a aliada política de Luiz Inácio #Lula da Silva. Ao todo, o partido tem 57 deputados eleitos e trabalhando na Câmara. 

Neste domingo, 10, começou a ser montada uma espécie de barreira na esplanada, em Brasília. O objetivo é dividir as manifestações pró e contra impeachment. A polícia militar espera receber pelo menos 300 mil pessoas na região no próximo dia 17, quando deve ocorrer a votação.  #Dilma Rousseff