Jorge Justino Diogo, prefeito de Brasilândia (Mato Grosso do Sul), decidiu fazer uma festa para comemorar o aniversário do município. Realizada no último domingo (24), a festa teve a como atração o show do cantor sertanejo Michel Teló. O juiz de direito, Rogério Ursi Ventura, havia proibido o show devido a uma ação civil pública que não concordava com o pagamento de R$ 145 mil pela apresentação do cantor. De acordo com o Ministério Público, a cidade não poderia ter condições de pagar um show dessa quantia, em razão de ter uma dívida de R$ 1,5 milhão com um hospital, e também por enfrentar diversos problemas na prestação de serviços públicos.

Publicidade
Publicidade

O Ministério Público recomendou ao município a suspensão do show, antes mesmo de entrar com a ação civil, e estipulou uma multa de R$ 100 mil caso a decisão não fosse cumprida. Diante disso, a prefeitura de Brasilândia entrou com recurso no Tribunal de Justiça para que fosse cancelada essa decisão do juiz. Ao analisar o processo, o desembargador Amaury da Silva Kuklinski, do TJ de Mato Grosso do Sul, derrubou a liminar do juiz e autorizou a apresentação de Teló. 

Comemoração

O prefeito Jorge Justino comemorou a decisão do desembargador e disse que a festa é ótima para a cidade, pois atrai pessoas para o comércio e a diversão estaria garantida. O prefeito também criticou a mídia, falando que ela só pensa em denegrir a sua imagem. Brasilândia completou 51 anos. E o prefeito convidou toda a população para festejar.

Publicidade

Crise

De acordo com o juiz Rogério Ursi, é uma vergonha uma cidade endividada pagar caro por um show, ainda mais em tempos de #Crise política e econômica que toma conta do país. O juiz ressaltou que o município está com vários problemas na coleta de lixo, asfalto emburacado e falta de remédio nos postos de saúde. O prefeito Jorge Diogo pertenceu ao Partido dos Trabalhadores durante 26 anos e depois se filiou ao PDT. Jorge disse que no começo era do PT porque se identificava muito com Luiz Inácio Lula da Silva e escolheu o PDT depois de uma conversa franca com o deputado Dagoberto Nogueira. #Corrupção