Nesta segunda-feira, 04, aconteceu um grande ato a favor do processo de impeachment na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, unidade pertencente à USP. Diversos juristas estiveram no encontro, que reuniu mais de três mil pessoas, de acordo com as informações de organizadores. Entre os presentes, o promotor Hélio Bicudo, ex-petista que ajudou a formular o pedido de impedimento que agora corre na Câmara dos Deputados. Nenhum discurso, no entanto, gerou tanta repercussão como o da advogada Janaína Pascoal, que também é Professora-Doutora de direito. Mesmo horas depois do evento, ela era um dos assuntos mais comentados da internet.

Antes mesmo de começar a falar, Janaína Pascoal ouvia dos presentes gritos de guerra, como 'Janaína Pascoal, Orgulho Nacional'.

Publicidade
Publicidade

A jurista anunciou que no momento da manifestação na USP outra faculdade de Recife também realizada um protesto contra #Dilma Rousseff. Ela agradeceu aos professores que a ajudaram em toda sua jornada. "Vale a pena ser honesto", disse a professora, citando também a influência de sua família. "As cobras que se apropriaram do poder estão aproveitando as fraquezas fulanas para se apropriarem", citou a jurista pedindo uma colaboração dos deputados, a quem ela esclareceu não haver distinção se são do "baixo" ou do "alto" "clero", dando a entender que isso é uma nomenclatura daqueles que apoiam ou não Dilma. 

Janaína disse ainda que as fraquezas são o medo e a sede por dinheiro. Ela ainda citou a corrupção da Petrobrás, citando os desvios que aconteceram na estatal e que são investigados na Operação Lava Jato.

Publicidade

"Há motivos de sobra para o #Impeachment", continuou. "Nós não queremos servir à uma cobra. O Brasil não é a república da cobra", bradou a professora, que vestia amarelo e em seguida pegou uma bandeira do Brasil.

"Nós somos muitos Hélios, Janaínas, Celsos", continuou ela em um relato emocionante. "Eles derrubam um, levantam-se dez", entoou citando diretamente a morte do prefeito Celso Daniel, ocorrida há quatorze anos. "Não vamos deixar essa cobra continuar dominando", finalizou.  #Lula