Mais um partido confirmou oficialmente nesta sexta-feira, 08, que é a favor do impeachment da presidente da república Dilma Rousseff. O anúncio foi feito pelo Partido da Social Democracia Brasileira em São Paulo e reuniu governadores, senadores, além de outros representantes da legenda. De acordo com o Senador Aécio Neves, eleito por Minas Gerais, o #PSDB será 100% unânime no pedido de saída da presidente. O anúncio já era esperado. Além do PSDB, outros partidos já anunciaram sua saída oficial de qualquer apoio ao governo federal, como o PSB e o PMDB. 

Aécio disse também que o impedimento de Dilma está previsto na constituição e que ela será seguida.

Publicidade
Publicidade

O Senador disse também que a companheira política de Luiz Inácio Lula da Silva não tem qualquer condição de governar um país do tamanho do Brasil e muito menos conseguir tirar os brasileiros da atual crise econômica e política, uma das mais graves da história. 

Além dos próprios parlamentares da legenda, governadores estaduais tentam convencer outros deputados a apoiarem a saída de Dilma do poder, deixando ela assim mais perto do "abismo". Aécio negou que essa seja uma forma dele chegar mais rápido ao poder, mas que estava lutando pelo país, até por isso, acontecerá o diálogo com políticos de outros partidos. Neves foi segundo colocado nas eleições de 2014. Ele passou a Senadora Maria Silva na reta final, chegou a ultrapassar Dilma nas pesquisas, mas nos votos absolutos acabou não levantando o "caneco". 

Desde a reeleição de Dilma, a crise só piorou.

Publicidade

Segundo o ex-candidato, está sendo penoso ver o país se esfacelar com a falta de capacidade dos governantes. Ele contou que Rousseff teve ainda oportunidades de virar o jogo, mas que não aproveitou. A previsão é que a votação do impeachment de Dilma aconteça em um domingo. A data mais provável para isso é o dia 17. Neste dia, já está até marcada uma grande manifestação pelo país. Um dos organizadores é o Movimento Brasil Livre. Só no Facebook, mais de um milhão de pessoas seguem a página.  #Dilma Rousseff