João Pedro Brugger, analista de renda variável da Leme investimento, disse nesta quarta-feira, 13, que o Partido dos Trabalhadores (PT) não vai mais voltar ao poder. Ele explica que o mercado está precificando isso e com o #Impeachment da presidente Dilma Rousseff, isso fica ainda mais evidente. Com a saída da legenda, João disse que sai ainda a política ineficiente lançada pelo governo da líder petista. A conversa foi realizada pela Bloomberg e repercutido pelo 'Infomoney'. O especialista disse que a queda da presidente pode fazer o dólar voltar a patamares de R$ 3. Além disso, a bolsa de São Paulo tem previsão de chegar a níveis recordes, chegando aos 60 mil pontos.

Publicidade
Publicidade

Brugger explicou também que as investigações da Lava Jato e a crise política, mesmo sem a presidente, devem continuar precificando o mercado nos próximos meses. Com a aprovação do impeachment na Câmara dos deputados, ele seguirá para o Senado. Segundo um levantamento feito pelo Estadão, pelo menos mais da metade dos congressistas é a favor do afastamento de Dilma. Até o momento, 42 Senadores se posicionaram pelo impeachment. Em entrevista a jornalistas, Rousseff disse que se perder no Senado, será carta Fora do Baralho. No entanto, ela não escondeu que pode levar a decisão da Câmara dos deputados para a mais alta suprema Corte do país. 

O advogado-geral da união, José Eduardo Cardozo, disse que caso o processo seja realmente enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) não seria uma atitude conhecida como "tapetão", que é quando você tenta mudar um resultado de jogo de futebol na justiça, mas apenas seguir o que está previsto na Constituição brasileira.

Publicidade

A defesa de Dilma até então dizia que o processo contra ela, também previsto na constituição seria um "golpe', mas que ir contra a decisão do executivo na esfera judicial não é. 

De acordo com as últimas pesquisas, entre 60 e 70% dos brasileiros é a favor do impedimento da presidente. Além dos problemas do governo federal, os estados brasileiros também passam por crises. No Rio de Janeiro, por exemplo, o governador em exercício, Dornelles, disse que não teria como pagar aposentadorias acima de R$ 2 mil nesse mês e que se der, esse valor será pago em maio. Os pagamentos são referentes ao mês de março.  #Lula #Dilma Rousseff