O Brasil se tornou um alvo em potencial do Estado Islâmico e a aproximação das Olimpíadas está deixando a Abin preocupada. A Agência Brasileira de Inteligência inclusive já elevou o alerta de risco para atos terroristas no país durante as Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Nesta última quinta-feira (14) o diretor de Departamento Cintraterrorismo, Luiz Sallaberry, avisou que é grande a probabilidade do país se tornar um alvo do EI e que nestes últimos meses o risco aumentou consideravelmente e vai tornar ainda maior à medida que os Jogos Olímpicos do Rio se aproximem.

E é no Rio de Janeiro que está sendo realizada a Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa, onde Sallaberry confirmou que o maior risco do Brasil se tornar alvo de atos terroristas dá-se em conta dos atentados praticados recentemente em diversos países, como é o caso da Bélgica e também na França.

Publicidade
Publicidade

Outra questão preocupante é o grande número de brasileiros que estão aderindo à ideologia pregada pelo Estado Islâmico.

A internet tem sido o principal meio utilizado pelos terroristas para atingirem seus objetivos e orquestrarem seus planos. O Brasil ainda tem o fator preocupante que é o grande número de refugiados que tem recebido, pessoas que chegam da Síria, Iraque e outros países que podem enviar terroristas para se infiltrarem por aqui e ajudarem na realização dos projetos.

O diretor disse também que é preciso um empenho integrado dos órgãos governamentais, empresas e forças policiais porque do contrário o combate ao terrorismo no país será um fracasso.

A Abin já confirmou a postagem no Twitter, feita em novembro de 2015, onde o terrorista Maxime Hauchard avisou que o Brasil é o próximo alvo do Estado Islâmico.

Publicidade

A conta do integrante do grupo terrorista já foi suspensa da rede social, mas isto não afasta o perigo.

Ainda de acordo com Sallaberry, muitas são as medidas que veem sendo tomadas para combater o #Terrorismo por aqui, entre elas a capacitação adequada de profissionais e também o intercâmbio que é realizado com outros países e esta troca de informação, de experiência, deixa o Brasil melhor estruturado para prevenir possíveis ataques terroristas. #Ataque Terrorista