O Sindicato dos Rodoviários de Salvador decidiu manifestar-se contra o #Impeachment de Dilma Rousseff nessa sexta-feira, 15, convocando uma paralisação de todas as linhas entre as 4h e 8h, horário de maior movimentação de cidadãos que se dirigem para o trabalho, escola e faculdades.

Segundo o sindicato, ‘os caras querem meter a mão’ nos direitos que eles conquistaram em 1940 e que em apoio ao governo petista, iam paralisar a circulação dos ônibus por 4 horas.

Daniel Motta, diretor de comunicação do sindicato, declarou ao Bahia Notícias que eles transportam a economia e que iriam parar em ‘defesa da democracia’.

Fábio Mota, secretário de Mobilidade de Salvador afirmou à imprensa que a prefeitura não foi notificada sobre a paralisação, mas que mesmo assim, iria reforçar o transporte público nessa sexta para evitar o máximo possível de transtornos para a população local.

Publicidade
Publicidade

O secretário também chamou a ação dos sindicalistas de ‘irresponsabilidade’, pois há cláusulas de aviso prévio no contrato de concessão e este não está sendo cumprido pela categoria ao pararem serviço essencial para apoiar o governo.

Guerra vermelha

Movimentos sociais prometem sair às ruas nessa sexta-feira, em várias cidades brasileiras. Lula e Dilma também devem divulgar um vídeo pedindo o apoio da população contra o impeachment no decorrer do dia de hoje.

No domingo, a autoridades esperam pelo menos trezentas mil pessoas na Esplanada dos Ministérios e para evitar confrontos entre os manifestantes favoráveis e contra o impeachment, as Forças Nacionais farão a segurança do local em parceria com a Polícia Militar do Distrito Federal, além de duas cercas separadas por um corredor de oitenta metros de largura por um quilômetro de extensão que dividirão os dois movimentos.

Publicidade

Nesses corredores ficarão autoridades de segurança armados para intervir caso alguém queira fazer confusão.

A polícia  o exército devem fazer uma corrente humana em volta das divisórias para evitar que manifestantes se aproximem. A secretária de segurança pública do DF avisou no último fim de semana que estão proibidos o uso de cartazes com frases ofensivas e bonecos para ambos os grupos. Nenhum grupo pode acampar no local para esperar a votação de domingo, 17, devendo se dirigir para o local no dia do evento histórico. #Manifestação #Protestos no Brasil