"Pior do que está, não fica" - esse foi um dos argumentos que fez Tiririca ser eleito e reeleito como um dos deputados federais mais votados do país. Há quase seis anos como parlamentar, o eleito pelo PR de São Paulo falou pela primeira vez no microfone do Plenário neste domingo, 17, quando disse a frase: "pelo meu país, eu voto sim". Muita gente talvez esperasse alguma piada do deputado comediante, mas ironicamente Tiririca esteve longe de ser o deputado mais caricato da noite que acabou entrando para a história, assinando o prosseguimento do #Impeachment da presidente Dilma Rousseff, que agora será analisado pelo Senado brasileiro. 

Nesta terça-feira, 19, um vídeo está gerando muita polêmica na internet.

Publicidade
Publicidade

Ele mostra Tiririca fazendo piadas com os argumentos utilizados pelos colegas na hora de dar o "Sim" ou o "Não" a respeito do impeachment. Durante as horas intermináveis da votação, teve gente que dedicou seu voto a Deus, à família e até aos moradores de rua "que moram na rua". Em um restaurante, Tiririca explicou aos fãs que não era hora de fazer piada e  que por isso pouco falou na hora de dar o seu voto. 

"Pela Florentina de Jesus, pelo meu cachorro Lulu, pela minha irmã Ducolina, pela minha esposa, minha amante e minha namorada, pelo meu filho que vai nascer em 2020...eu voto SIM", disse ele levando fãs aos risos. Em seguida, Tiririca foi paparicado e obedeceu aos pedidos de tirar selfies. De acordo com informações do jornal Extra, a assessoria do deputado não sabia no vídeo, apenas informou que o parlamentar não estava mais em Brasília, mas sim viajando, já que a Câmara está em recesso depois da votação que aprovou o prosseguimento do impeachment. 

Outra polêmica envolvendo o deputado eleito por São Paulo foi noticiada pela Folha de São Paulo.

Publicidade

No sábado, 16, Tiririca teria se reunido com o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva e afirmado que votaria com ele. Lula acompanhou a votação do domingo ao lado de Dilma Rousseff e ficou muito decepcionado quando ficou sabendo do voto contrário a ele. "Como ele pode fazer isso", teria dito o ex-presidente, que é um dos investigados da Operação Lava Jato.  #PT