A crise política do Brasil ganha novos contornos e o Ministro da Saúde, Marcelo Castro, pode até ser preso. A solicitação do pedido de prisão do Ministro de Dilma foi feita nesta quinta-feira, 07, pelo Ministério Público Federal (MPF). Além dele, quem também pode ir parar atrás das grades é David Uip, secretário de Saúde do Estado de São Paulo. Mas o que eles fizeram para terem a solicitação de prisão pedida pelo MPF? De acordo com informações do UOL, o pedido foi realizado depois dos dois responsáveis pela saúde pública no Brasil terem descumprido ordens judiciais, que obrigavam o fornecimento de remédios à base de maconha no país, os famosos cababidiois.

Publicidade
Publicidade

Esses remédios deveriam ser entregues a todas as pessoas que sofrem com doenças que geram convulsões, como a epilepsia. 

O dinheiro para comprar remédios à base da maconha é disponibilizado pela União, que depois repassa essa verba para os estados. A liminar que concedia o direito aos remédios aos pacientes com convulsões foi expedida em abril do ano passado, mas mesmo um ano depois ela estaria sendo descumprida pelo governo federal e também pelo estado de São Paulo. A decisão foi assinada pelo MPF de Marília, no interior paulista. Muitos pacientes que não utilizam o remédio não conseguem controlar essas convulsões com outros tipos de medicamentos, não tendo, portanto, uma vida saudável, o que é garantido por lei. 

A autoria das ações é do Procurador Jefferson Aparecido Dias.

Publicidade

No documento, ele disse que até agora a União e o estado não apresentaram qualquer motivação para que os remédios não fossem enviados às unidades de saúde de todo país e depois repassados aos pacientes. O ato, segundo o procurador, geraria grave prejuízo, especialmente as crianças e adolescentes. O Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde ainda não comentaram o caso. 

Na ação assinada por Jefferson fica estipulado que é cabível a prisão para que a lei e a liberação dos medicamentos seja cumprida. O assunto rapidamente repercutiu nas redes sociais. "Vamos ver o que o governo fará depois dessa", disse um internauta.  #Lula #Dilma Rousseff #Impeachment