A Operação Lava Jato, que ficou mais de 40 dias sem nenhuma nova operação, voltou com força total neste final de maio, com operações em dois dias seguidos, afinal nesta última segunda-feira, 23, aconteceu a operação "Repescagem", que culminou com a prisão do ex-tesoureiro do Partido Progressista (PP), João Claudio Genu, e também do seu sócio Lucas Amorim Alves. 

E nessa terça, 24, ainda pela madrugada teve inicio a 30ª fase da Operação Lava Jato, batizada de "Operação Vício". Segundo informações preliminares, nessa fase, que acontece em São Paulo e no Rio de Janeiro, a Polícia Federal (PF) estará cumprindo um total de 28 mandados de busca e apreensão, 2 de prisão preventiva (quando a pessoa é presa por tempo indeterminado) e outros 9 de condução coercitiva, onde a pessoa é obrigada a prestar depoimentos à polícia.

Publicidade
Publicidade

Os dois presos dessa 30ª fase da Operação Lava Jato serão conduzidos até a capital paranaense, Curitiba.

Nessa fase estão sendo investigados diversos crimes, entre eles: #Corrupção, organização criminosa e lavagem de ativos.

O alvo da operação está direcionado a um grupo de empresas de fachada, nomes ainda não divulgados, que realizavam contratos fictícios com objetivo de desviar dinheiro da estatal.

Entrevista coletiva

Está agendada ainda para a manhã dessa terça-feira, às 10 da manhã (horário de Brasília), no auditório da Superintendência da PF em Curitiba/PR, entrevista coletiva  sobre essa 30ª fase, como sempre acontece após cada fase da Operação, promotores e investigadores trazem a imprensa, maiores detalhes a respeito da operação como envolvidos e sobre os crimes por estes cometidos.

Publicidade

O início

A operação que teve início a mais de dois ano atrás, no dia 17 de março de 2014, aconteceu a primeira fase da operação, quando na oportunidade foram presos 17 pessoas, entre eles um dos principais delatores, o doleiro Alberto Youssef, e assim as investigações foram avançando e descobrindo inúmeros esquemas de corrupção dentro da Petrobrás, com o envolvimento de empresários, políticos e empresas. #Crise no Brasil