Ontem, a polícia divulgou que já identificou quatro dos 33 homens que estupraram menina de 16 anos no Rio de Janeiro, em caso que chocou o Brasil. Os quatro foram mais fáceis de identificar porque dois deles compartilharam o vídeo, um deles aparecia ao lado do corpo desacordado da menina e o outro era o seu namorado há três anos (confira os nomes completos dos quatro aqui).

Um dos homens que compartilharam as imagens da menina ferida e "apagada" afirmou que, na verdade, não sabia que o que estava acontecendo era um estupro. Ele afirmou que publicou imagens da menina na internet na noite de terça-feira e que na quarta-feira o seu perfil na rede social foi apagado.

Publicidade
Publicidade

Marcelo afirma que recebeu ameaças de morte, mas que entendeu o que aconteceu apenas quando assistiu ao vídeo. Ele é estudante do terceiro ano do ensino médio e mora na Cidade de Deus.

Marcelo afirma ainda que, na verdade, não participou do crime e nem conhece nenhum dos 33 homens que estupraram a menina, mas que apenas havia recebido a imagem em um grupo de WhatsApp. Mesmo assim, ele pode ganhar pena de até seis anos de reclusão por compartilhar pornografia envolvendo pessoa menor de idade.

O advogado do rapaz afirma que irá entregá-lo para a polícia ainda na sexta-feira (27); ele teve prisão preventiva decretada. Ele se defende dizendo que sua ficha ainda não caiu, pois tudo aconteceu "tão rápido" e que recebeu ameaças de morte por quem pensa que ele participou do crime. "Botei isso inocentemente", disse ele, se referindo ao conteúdo compartilhado na internet.

Publicidade

Ele ainda revelou que sua mãe acha a história repugnante mas está ao seu lado. Marcelo afirma ainda que não quer ser preso, pois não cometeu nenhum crime, não sabia que era estupro e nem que a menina era menor de idade.

Nas imagens, aparece homem de 41 anos ao lado da menina; ele já teve prisão preventiva decretada, assim como Michel Brasil, acusado de divulgar as imagens na internet. 

A menina usou sua conta no Facebook para desabafar que imaginou que seria julgada pela população e que o que está doendo não é seu útero, mas sim sua alma.

Saiba mais

Homem que participou de estupro de menina no Rio é jogador do time Boavista #Casos de polícia