Nesta terça-feira, 24, a atriz Alessandra Maestrini fez duras revelações contra o governo da presidente afasta Dilma Rousseff, eleita pelo Partido dos Trabalhadores (#PT). Em entrevista ao programa 'Jovem Pan Mornig Show', da 'Jovem Pan, Alessandra contou que sofreu censura do governo federal. Segundo a atriz, a censura não seria sentida somente por ela, mas também por diversos outros amigos, especialmente os comediantes. Maestrini disse que muitos humoristas simplesmente foram demitidos por conta de ameaças que partiram da gestão de #Dilma Rousseff

Ainda na conversa com a rádio de São Paulo, a profissional da dramaturgia que ficou conhecida como a empregada doméstica 'Bozena' de 'Toma Lá, Dá Cá', revelou que algumas pessoas chegaram a receber telefonemas com ameaças por pessoas que seriam ligadas à Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

Para Alessandra Maestrini, o impeachment da petista não pode ser considera um golpe parlamentar, assim como a política tem usado em seus discursos, mas sim uma boa oportunidade para o país ter a chance de "não se tornar uma Venezuela. O país de esquerda vive hoje a maior inflação do planeta e um momento evidente de que o regime bolivariano já não dá mais certo. 

Segundo a atriz, durante o governo de Dilma Rousseff, o Brasil ficou mais parecido com a Venezuela, tendo controle de comunicação, por exemplo. Ela acredita que o presidente em exercício Michel Temer será capaz de promover uma virada na história brasileira. Apesar das duras acusações, a profissional da dramaturgia não chegou a dar nome a nenhum dos colegas que teria sofrido censura do governo federal, mas fez questão de deixar claro que isso ocorria de diferentes maneiras, uma delas com a perda de patrocínio para programas, por exemplo. 

“A emissora entrava em contato com o artista avisando que o Governo havia ligado ameaçando.

Publicidade

Quem ligou eu não sei, não era comigo que estavam falando”, disse Alessandra, não deixando claro se o canal em questão seria a TV Globo, onde ela trabalhou. Ela ainda fez comentários a favor da continuidade da Lei Rouanet, dizendo que pessoas de ambas ideologias - esquerda e direita - recebem a oportunidade de captar dinheiro para seus projetos.