Não é de hoje que o governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) virou piada na boca dos brasileiros. Tal como Dilma Rouseff (PT), nos últimos dias após o afastamento da petista do poder para ser investigada por crime de responsabilidade, o atual chefe do Poder Executivo tomou medidas um tanto quanto controversas. Uma das primeiras foi excluir o Ministério da Cultura e a Controladoria Geral da União de seu governo, o que gerou protestos por parte dos funcionários e população. O fato de ter nomeado apenas homens para os novos ministérios também gerou indignação e mais revolta nas redes sociais.

A última situação que virou "piada" na web foi o convite feito pelo então Ministro da #Educação, Mendonça Filho, ao ex-ator pornô e membro do elenco do SBT de Silvio Santos, Alexandre Frota, para dar "palpites" em um dos setores mais importantes para o país.

Publicidade
Publicidade

A visita ocorreu no começo da tarde desta quarta-feira, dia 25 de maio. Frota esteve no gabinete do ministro com mais quatro integrantes do grupo Revoltados On Line, que pediu nas ruas e deu suporte ao começo do processo de impeachment de Dilma Rouseff.

A imagem já circula na internet, divulgada por meio das redes sociais do ator de 52 anos de idade. Na legenda do Instagram, ele escreveu: "pude colocar algumas ideias para ajudar um país que eu amo".

Já pelo Facebook, Frota preferiu gravar um vídeo e falou que elaborou um documento com sugestões para a área. Ele se disse feliz e já apontou algumas das pautas levantadas em sua proposta. A primeira é a "Escola sem partido", que defende o fim do que o ator chama de "doutrinação ideológica das escolas", que leva às greves ocupações entre alunos e professores.

Publicidade

Retrocesso?

Atualmente, existem projetos de lei tramitando no Congresso Nacional, assembleias legislativas e câmaras municipais sobre o tema. No estado do Alagoas, por exemplo, o governador do PMDB, Renan Filho vetou o pedido dos deputados estaduais pelo projeto "Escola Livre", que tem o mesmo objetivo da proposta de Frota. A lei obrigaria os professores a apresentar uma postura "neutra" na sala de aula sobre temas políticos, religiosos e ideológicos. Uma das pessoas mais graves é a demissão do profissional.

Muitos educadores e sindicalistas acharam absurda a proposta, que para eles é uma forma de censura.

Na internet, muitas pessoas debocharam do convite feito a Alexandre Frota pelo ministro da Educação.

#Impeachment #Crise-de-governo