Sônia Braga e toda a equipe do filme 'Aquarius' podem se dar mal após um protesto realizado nesta terça-feira, 17, durante o festival de Cannes. Durante o tapete vermelho, atores do longa dirigido pelo pernambucano Kléber Mendonça exibiram cartazes com frases que diziam que o processo de #Impeachment no Brasil era um "golpe de estado". As mensagens estavam escritas em línguas diversas, como inglês e francês. Nesta quarta-feira, 18, o blog político 'O Antagonista' publicou informações que dão conta que a produtora ligada à Kléber seria uma das campeãs de benefícios culturais cedidos pelo governo. Algumas cifras exibidas chegam a cada dos milhões.

Publicidade
Publicidade

O diretor ainda não comentou a publicação e caso assim deseje, a Blasting News garante o direito dele de dar o seu lado dos fatos.

A questão toda é que o protesto soou ruim para o filme 'Aquarius'. Primeiro longa a concorrer à Palma de Ouro durante os últimos anos, a obra agora é vítima de um boicote online. Diversos manifestantes contra a presidente afastada Dilma Rousseff e a favor do impeachment pedem que seus amigos e seguidores não assistam ao filme quando ele estrear no Brasil. Conhecendo a falta de popularidade do cinema nacional em seu próprio país, o lançamento do longa em terras tupiniquins. No entanto, a quem avalie que o protesto pode até ser benéfico, pois acabou se fazendo uma propaganda maior de 'Aquarius'. 

Uma das artistas mais rechaçadas nas redes sociais foi justamente Sônia Braga.

Publicidade

O fato dela morar nos Estados Unidos e dificilmente aceitar trabalhos aqui no Brasil gerou muitas críticas. "A pessoa mora no exterior por razões óbvias e vem protestar contra a possibilidade de mudança por aqui. Sônia Braga, você não me representa", disse um internauta em um longo texto publicado no Facebook repudiando a artista. Já outros adeptos do movimento pró-impeachment argumentaram nas redes sociais que as celebridades só falam do Ministério da Cultura porque isso é o que dói no bolso delas, quando Michel Temer anunciou extinção de Ministérios até mais relevantes, como o da Previdência.  #PT #Dilma Rousseff