A polícia do Rio de Janeiro está sofrendo uma forte pressão de todo o país para que sejam encontrados e punidos os mais de 30 homens responsáveis pelo estupro de uma jovem de apenas 16 anos. Na manhã deste sábado a polícia foi até o morro do Barão, local em que o #Crime foi cometido, na zona oeste do Rio de Janeiro e conseguiu prender um dos suspeitos de ter participado na barbárie.

Por enquanto o suspeito não terá seu nome divulgado, pois ainda será ouvido e claro, terá direito a um advogado para fazer sua defesa. O morro do Barão é um local perigoso para os policiais e quando os agentes lá chegaram foram recebidos a tiros pelos traficantes do local.

Publicidade
Publicidade

O clima ficou tenso, mas felizmente não houve nenhuma vítima.

A investigação deste crime começou assim que o vídeo de uma garota sendo violentada foi divulgado no Twitter. Eram citados mais de 30 homens envolvidos no crime e a revolta logo tomou conta da rede social. A menina, em depoimento à polícia, disse que foi ao morro do Barão para ver o namorado e chegando lá na sexta-feira (20) acabou desacordando e só foi voltar a si já no domingo quando viu 33 homens armados sobre ela.

Pessoas anônimas e famosas logo se revoltaram com a história e protestaram nas redes sociais. No momento há uma reclamação geral por nenhum suspeito ter sido preso, mas o delegado responsável pelo caso já informou que não irá prender ninguém enquanto não tiver provas suficientes, até porque surgiram algumas versões diferentes para esta história, por exemplo, o suposto namorado da vítima disse que não tem nenhum relacionamento com ela e que na noite do crime ele teve relação foi com outra garota.

Publicidade

A advogada da vítima, Eloísa Samy, reclamou da forma como a investigação vem sendo feita e disse que o delegado é machista e que estaria criminalizando sua cliente. O Ministério Público do Rio de Janeiro prometeu que vai acompanhar o caso mais de perto.

A Promotoria agora quer saber por que a menina precisou prestar dois depoimentos em um único dia, já que na madrugada da última quinta-feira (26) ela já tinha sido ouvida.

A menina ficou por duas horas relatando tudo que vivenciou e confirmou que ela estava desacordada e quando voltou a si estava nua e com 33 homens à sua volta. Devido ao coquetel de medicamentos que ela precisou tomar para ajudar a evitar doenças sexualmente transmissíveis, a menina não estava se sentindo muito bem e precisou parar por alguns minutos, antes de prosseguir com seu relato. #Internet #Casos de polícia