Um grupo de alunos do curso de veterinária da Unip resgatou um cavalo em situação de maus tratos. Ele estava em um terreno baldio perto do Jardim Botânico em Goiânia, quando foi avistado por uma estudante que avaliou a situação e constatou que o animal estava bastante debilitado, em seguida, chamou os colegas para prestar socorro. 

O animal estava debaixo do sol, magro e debilitado, além de não conseguir ficar em pé. Os estudantes colocaram um lençol úmido para amenizar o calor e fizeram uma 'vaquinha' para transportar o cavalo até o hospital veterinário da universidade. Moradores da região contaram que este cavalo era utilizado para puxar carroças, mas quando ficou doente foi abandonado.

Publicidade
Publicidade

Após uma avaliação da equipe de veterinária, constatou-se que ele tem cerca de dez anos de idade, está desnutrido, desidratado e com anemia. Há especulações que existem outros #Animais na região sofrendo maus tratos, o que preocupou ainda mais os estudantes, que pretende registrar um boletim de ocorrência sobre o caso, para penalizar o responsável pelo abandono do animal.

As últimas notícias que se tem do animal é que ele já está melhorando. O cavalo já tenta ficar em pé, está passando por exames e fazendo tratamento para combate a desnutrição e desidratação.

Esse caso fica de alerta para todos que se depararem com alguma situação de maus tratos a animais. O primeiro passo após socorrer o animal é registrar um boletim de ocorrência. Isso serve para casos de abandono em animais em propriedade alheia sem consentimento.

Publicidade

A pena pode variar de detenção de três meses a um ano e multa. 

Os casos de maus tratos incluem abandono, manter o animal preso sem comida e sem contato com donos, deixa-lo em local inapropriado e sujo, envenenamento, agressão física, mutilação, utilizar o animal em show que possam deixa-lo em pânico e sofrimento e não procurar atendimento veterinário caso o animal fique doente. O responsável também pode responder por negligência. Caso um boletim de ocorrência não resolva o Ministério Público poderá ser acionado.