A notícia dada em primeira mão por Reinaldo Azevedo por volta da meia noite desse sábado, 21, acaba de se confirmar. O presidente interino do Brasil, exatamente uma semana após agregar a cultura ao ministério da educação, decidiu ceder à pressão e recriar o ministério.

A confirmação veio de Mendonça Filho que é o atual ministro da educação e que era acusado por 'artistas' de não priorizar a cultura. Marcelo Calero, que foi anunciado essa semana como o secretario da cultura, será anunciado como ministro da pasta na próxima terça-feira, 24.

Apesar de artistas terem tomado mais de dez espaços vinculados ao MinC no decorrer da semana, estes por sua vez não pretendem deixar de protestar, pois buscam a volta de Dilma Rousseff e não o retorno do ministério da cultura Tal informação foi divulgada pelos próprios ocupantes da sede da Funarte de Belo Horizonte.

Publicidade
Publicidade

Com a decisão de Temer, o mesmo começará a sofrer pressão dos dois lados: tanto dos esquerdistas que querem Dilma na presidência, quanto dos direitistas que não aceitarão que o presidente interino quebre sua palavra e ceda na primeira pressão.

Além disso, a postura de Temer servirá como motivo para Dilma, Lula e cia, afirmarem, mais uma vez, que Michel não tem condições de presidir o Brasil e que a decisão é recuo de quem sabe que praticou um golpe.

Lembrando que golpe é quando um governo é tomado à força e no Brasil a posse de Temer foi condicionada à previsões legais que seguiram rígidos e burocráticos pressupostos até a sua consumação.

Nesse momento, a decisão é comemorada por esquerdistas, que acreditam que isso lhes dá força para lutar pela volta de Dilma. Da mesma forma, direitista planejam protestar contra Temer.

Publicidade

Dilma voltará?

De acordo com a previsão legal, ela tem chances, mas de acordo com a realidade política do país, Dilma não voltará a sentar na cadeira da presidência. O mesmo Congresso que aprovou seu afastamento, será o que votará a decisão final dentro de alguns meses. Convencer senadores à votarem contra o impeachment será, praticamente, uma missão impossível, entretanto, Dilma tem se reunido com alguns deles para negociar uma forma de reverter o seu impeachment. #Manifestação #Protestos no Brasil #Michel Temer