O caso da menina moradora da zona oeste do Rio de Janeiro que foi estuprada por mais de 30 homens no Morro do Barrão promete ainda um longo desenrolar. Isso porque o delegado responsável pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, Alessandro Thiers, falou para a imprensa que o caso não está solucionado e ainda não pode confirmar o estupro. Por conta disso, a própria advogada da vítima, Eloísa Samy, disse que vai pedir na Justiça que o responsável pelo caso seja substituído, pois considera falas como essa de teor machista e que apenas atrasam a prisão dos culpados.

"A gente está investigando se houve consentimento dela, se ela estava dopada e se realmente os fatos aconteceram", falou Thiers em uma coletiva de imprensa.

Publicidade
Publicidade

O delegado explicou ainda que a polícia não poderá ser "leviana e comprar a ideia do estupro coletivo" e reafirmou que não tem certeza do que ocorreu na casa com todas aquelas pessoas.

Anteriormente, a jovem prestou depoimento, fez exame de corpo delito e também se disponibilizou a falar com alguns veículos de comunicação, como os jornais O Globo e a emissora de televisão SBT. O jornalista investigativo do canal, Roberto Cabrini, prometeu uma edição especial neste domingo, dia 29, contando o caso da adolescente violentada.

A advogada protestou contra a entrevista do delegado e disse que ele está cometendo erros ao conduzir o caso. "Fez perguntas que tentavam culpá-la pelo estupro", disse ela. 

Entre os questionamentos feitos, de acordo com Eloísa, Thiers quis saber se ela tinha o hábito de ter relações íntimas em grupo. "Não acreditei e encerrei o depoimento", contou para o site BBC Brasil.

Publicidade

Ativistas se revoltam

Estão marcadas ainda diversas manifestações contra a cultura do estupro pelo país. Deputados, vereadores, líderes comunitários, ONGs, Youtubers e outras pessoas estão divulgando pelas redes sociais eventos com este teor. A ideia é de conscientizar sobre o que é o estupro e como proteger as vítimas e vulneráveis.

Ao saber da fala do delegado, muitas pessoas de indignaram na internet. Leia.

 

Por outro lado, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), postou um vídeo dizendo que a solução para combater o estupro é "castrar" os culpados e oferecer penas mais severas. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia