A presidente da república Dilma Rousseff disse nesta terça-feira, 03, durante uma cerimônia de lançamento do Plano Safra, que não irá deixar o governo por nada, repetindo que não irá renunciar a seu mandato. O novo programa do governo é voltado para a agricultura familiar. A líder petista declarou ainda  que o Brasil "sofre um assalto" em sua democracia, insinuando que o seu processo de #Impeachment é crime. No próximo dia 11, o Senado decidirá através de votação se a presidente será ou não afastada. Dilma que é uma grande vítima. Ela voltou a criticar o processo de impedimento, chamando esse de "uma fraude" e "sem causa".

O discurso da representante do Partido dos Trabalhadores (PT) vai contra à diversas reportagens que dizem que o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva apoiaria e pressionaria Dilma a pedir a renúncia, fazendo com que novas eleições fossem convocadas o mais rápido possível.

Publicidade
Publicidade

Ele aparece liderando as principais pesquisas eleitorais, mesmo sendo investigado pelo Ministério Público Estadual de São Paulo e também pela justiça federal através da Lava Jato. 

Dilma disse ainda que a oposição tenta chegar ao poder através de uma eleição indireta. Segundo a principal governante do país, os motivos citados na denúncia contra ela, não seriam suficientes para que ela deixasse o poder. O principal motivo do processo de Dilma são as "pedaladas fiscais" e os decretos de créditos suplementares. Ela também disse que a oposição, no caso o seu vice, Michel Temer, não daria a mesma prioridade que ela dá aos programas sociais. 

Não é a primeira vez que ela acusa Temer de tal fato. Ele já chegou a negar através de redes sociais que será capaz de fazer cortes em programas sociais. O peemedebista tem se reunido com aliados todos os dias para escolher seus Ministros.

Publicidade

Com o afastamento de Dilma realmente acontecendo no dia 11, ele já assumiria o governo automaticamente. Dilma, segundo o jornal O Globo, desceria de forma simbólica do Palácio do Planalto, em Brasília. Essa informação não foi confirmada oficialmente.  #Dilma Rousseff