O afastamento de Dilma Rousseff foi aprovado na manhã dessa quinta-feira, 12, por 55 votos favoráveis e 22 contrários ao #Impeachment. Há poucos minutos à frente do cargo até a notificação oficial para Michel Temer, que deve ocorrer às 11h, Dilma já exonerou a maior parte dos seus ministros.

Dentre eles, o 'ministro Miojo', Luís Inácio #Lula da Silva, que teve sua nomeação suspensa poucos minutos após a cerimônia solene de posse. A exoneração de Lula foi publicada no Diário Oficial da União dessa quinta-feira. Junto com a exoneração, chega ao fim as constantes contestações do petista junto ao STF para poder ocupar sua cadeira na Casa Civil.

Publicidade
Publicidade

Além de Lula, Dilma exonerou o seu fiel defensor, José Eduardo Cardozo, bem como Kátia Abreu, Aldo Rebelo e até Alessandro Teixeira, o marido da ex-miss bumbum Estados Unidos que gerou polêmica logo no dia da posse de Teixeira ao criticar Sérgio Moro, Bolsonaro e Aécio Neves.

Nem todos os ministros de Dilma foram exonerados. A fim de manter a estabilidade nesse processo de transição, o Ministro do Banco Central, Alexandre Tombini, deve ficar à frente do cargo até 7 de junho, que é quando ocorrerá um novo encontro do 'Comitê de Política Monetária'.

Os substitutos dos ministros exonerados serão conhecidos na tarde dessa quinta-feira. Além de apresentar os novos nomes de cada ministério, Michel Temer também deve realizar o seu primeiro pronunciamento como presidente da república.

Dilma reage

Pouco depois de Eduardo Cardozo discursar emsua defesa por conta do resultado da votação no Senado, Dilma Rousseff usou sua página oficial no Facebook para declarar que seu afastamento é um 'golpe'.

Publicidade

A petista afirmou que mesmo sem qualquer crime cometido foi afastada em um ato de injustiça histórica.

Os petistas afirmaram, alguns ainda durante a madrugada de longos discursos, que não vão desistir de reverter a situação de Dilma na fase de julgamento, entretanto, para sofrer o impeachment, é preciso 54 votos e como hoje houve 55, a oposição sente-se tranquila para repetir a aprovação para condenar a presidente afastada daqui alguns meses. #Dilma Rousseff