De acordo com informações do jornal O Globo em reportagem publicada nesta segunda-feira, 02, a presidente Dilma Rousseff deve  pedir nos próximos dias que o Congresso analise uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que anteciparia as novas eleições presidenciais, fazendo com que essa já coincidisse com as municipais, em outubro. Anteriormente, a mídia já falava nesse possibilidade, mas que a líder petista ainda pretendia discutir o assunto com movimentos sociais. Estes estariam resistentes à ideia, mas não deve ter jeito. Dilma seguirá uma orientação do Partido dos Trabalhadores (#PT) e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pedir o pleito.

Publicidade
Publicidade

É bom lembrar que Lula aparece na frente dos demais candidatos em todas as pesquisas eleitorais realizadas recentemente. Ele também é o nome mais rejeitado nos questionamentos. O assunto também não é uma unanimidade entre os Ministros que sobraram do governo. Bom, caso realmente a Proposta de Emenda Constitucional se confirme, Rousseff terá que correr. Isso porque em nove dias acontece a votação no Senado que definirá se ela pode ou não ser afastada. Um pedido como esse teria mais efeito ainda com ela como presidente. Com sua saída do posto, mesmo ainda em se tratando do afastamento e não da deposição, quem teria que pedir a PEC é o próprio PT. 

É bom lembrar que o ex-presidente Lula se reuniu no mês passado com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB - Alagoas), justamente para tratar sobre o assunto.

Publicidade

O peemedebista teria explicado para o líder petista que qualquer PEC apresentada por Dilma e o PT neste momento não passaria no Congresso. Isso porque a legenda tem a minoria. Renan teria aconselhado Lula a tentar um plebiscito, usando a eleição municipal para questionar se os eleitores querem em 2017 um novo pleito presidencial. 

Pela legislação eleitoral, mesmo sem PEC ou plebiscito, caso Dilma seja deposta até 31 de dezembro deste ano, uma nova eleição é convocada. Nesse meio período, quem fica no governo é o vice, Michel Temer. Ela renunciando também ocorre o mesmo.  #Dilma Rousseff #Impeachment