Não, caros leitores, vocês não leram errado. O técnico da seleção brasileira de futebol masculino, Dunga, solicitou a cassação do mandato do Senador Romário, do PSB do Rio de Janeiro. No entanto, ele não conseguiu derrubar o "baixinho", que já dividiu com ele os campos. A informação foi confirmada nesta quinta-feira, 05, pelo jornal 'O Estado de São Paulo'. De acordo com a publicação, a advocacia do Senado decidiu colocar o pedido de cassação em seus arquivos. Além de Dunga, quem também tinha protocolado pedido para cassar Romário foi o coordenador técnico, Gilmar Rinaldi. O pedido foi realizado no Conselho de Ética do Congresso.

A informação foi comemorada nas redes sociais por Romário.

Publicidade
Publicidade

Dunga e Gilmar Rinaldi argumentavam que tinham sido ofendidos pelo congressista. Tudo começou depois de uma polêmica entrevista do "baixinho" ao jornal italiano Gazzetta dello sport, quando ele disse que existiam interesses maiores por tás das contratações dos jogadores da seleção. Na época da declaração, o time "canarinho" já vivia uma crise de talentos. No Facebook, o Senador disse que a cassação foi uma tentativa frustrada da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ele disse ainda que a entidade teria instruído seus dois nomes conhecidos para pedir sua cassação.

A advocacia do Senado, segundo o Estadão, explicou porque o pedido contra Romário não foi aberto. De acordo com o órgão federal, o parecer de Dunga não tinha os requisitos formais para ser apresentado, faltando coisas básicas, como a anexação do título de eleitor.

Publicidade

O parecer diz ainda que os Senadores podem opinar da forma que bem entenderem, já que a constituição garante "inviolabilidade de suas opiniões". A entidade diz que isso é indispensável, pois os Congressistas não podem deixar de falar o que pensam em prol do povo por medo de possíveis retaliações. 

Romário aproveitou a situação para dar uma boa alfinetada nos ex-companheiros de seleção, dizendo que dá o máximo de si e que, mesmo questionado, consegue sempre bons resultados. No entanto, o mesmo não tem sido atingido pela Seleção. O Senador citou o fato do Brasil estar na quinta posição do ranking da Fifa e apresentar dificuldades nas eliminatórias da Copa.  #Governo #Crise-de-governo