Uma menina de 17 anos foi vítima de um vídeo mostrando sua intimidade nesta quarta-feira, 25. A suspeita é que a menor de idade, que não teve o nome identificado, tenha sofrido estupro coletivo. No vídeo, um dos supostos criminosos diz que ela teve relações íntimas com outros 30 homens. De acordo com informações do jornal 'O Globo', a garota foi levada para fazer exames em um centro de ginecologia de um hospital anexo ao Souza Aguiar. Em entrevista à publicação, o pai da menina, que também não teve nome identificado, disse que a filha já foi ouvida por policiais civis especializados em crimes de internet e que ela passou pelo Instituto Médico Legal. 

O estupro de acordo com o pai da menor ocorreu no fim da semana passada na comunidade do Morro de São João, em Praça Seca.

Publicidade
Publicidade

A avó da menina disse que ela tem problemas com drogas desde os treze anos. Ela já é mãe de um menino de três anos, mas a família revelou não ter notícias sobre estupros anteriores. De acordo com familiares, a jovem some por dias e depois sempre retorna para casa. A avó da adolescente revelou que assistiu ao vídeo e que fica nítido que ela estava completamente vulnerável nas imagens, pois sofreu um "apagão". 

“O vídeo é chocante, eu assisti. Ela está completamente desligada", revelou ela em conversa com a rádio CBN. Além da Polícia Civil, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro apura o caso. Agentes da lei pedem que qualquer pessoa que tenha informações sobre o caso entre em contato para ajudar a solucionar esse #Crime tão tenebroso. 

Após a divulgação do vídeo exibindo o órgão genital da menina sangrando no Twitter, o perfil no microblog de 140 caracteres decidiu suspender a conta do usuário conhecido como "Michel".

Publicidade

Outro homem também publicou uma foto com o corpo da garota desacordado. Ele se vangloriava da atitude que cometeu minutos antes, escrevendo que provocou um "túnel" na vítima. Por ter divulgado o crime na internet, os suspeitos podem ter a pena aumentada em um terço. A polícia diz que os homens das imagens seriam do Rio de Janeiro.  #É Manchete!