Fernando Fernandes, atleta paraolímpico e ex-integrante de um dos maiores realities show da televisão brasileira, o Big Brother Brasil da Rede Globo, tentou atingir o índice olímpico para participar das Paraolimpíadas da cidade do Rio de Janeiro de 2016, que começam logo após o término das Olimpíadas, no dia 7 de setembro. Ele, que é tetracampeão mundial em sua modalidade, a paracanoagem, ficou por um triz da classificação, isso porque conseguiu estar na 5ª posição no caiaque KL1, no mundial que foi realizado na cidade de Duisburg, na Alemanha, na última quinta-feira (19).

Já o seu colega, Carlos Cardoso, que é do Piauí, conseguiu o índice e se classificou para a Paraolimpíada do Rio.

Publicidade
Publicidade

Ele ficou na 3ª colocação e conquistou a medalha de bronze. “Vocês devem ter estranhado que eu não comentei nada depois da prova, porque realmente eu precisava de um dia para digerir tudo o que aconteceu ontem – disse o ex-BBB, em uma publicação na sua própria rede social – tudo que aconteceu comigo na canoagem”, completou Fernando Fernandes.

Ele fez a publicação no Facebook um dia após da disputa que o deixou de fora da Rio 2016. “Dois anos atrás comecei a me deparar com uma realidade estranha na classificação funcional, que é colocar o devido atleta na devida categoria de acordo com a sua lesão (...)”, o ex-BBB explica em forma de desabafo que alguns atletas que estavam disputando com ele não eram da devida categoria em que ele disputava, ou seja, a partir de 2014 a organização dessa modalidade passou a ‘misturar’ todos os atletas, deixando de lado as peculiaridades de cada um.

Publicidade

Fernando diz que muita gente que participa dessa modalidade esportiva aprendeu a ‘burlar’ o sistema e a se beneficiar disso. Ele conta que ao perceber isso, muitos outros atletas que são ‘adequados’ à modalidade, passaram a fazer protestos contra o que ele havia explicado em sua rede social, e, inclusive, ele próprio também passou ‘lutar’ para que a modalidade pudesse se ‘moralizar’ e o esporte passar a ser mais justo, da mesma forma que era quando os atletas disputavam há três anos atrás. Fernando também disse que esse é o momento mais difícil de sua carreira como atleta dessa modalidade esportiva. #Rio2016