No Rio Grande do Sul um falso veterinário foi preso suspeito de estelionato. O homem, de 64 anos, falava que era médico veterinário e aplicava vacinas em #Animais. O crachá falso dizia que ele era técnico especializado em vacinação. O caso aconteceu em Restinga Seca – RS.

O homem foi preso no dia 17 de maio, em São Miguel Novo, graças a uma denúncia feita por uma moradora do local. A mulher contou que ele foi até a casada denunciante para aplicar vacina. De acordo com ela, ele falava que a vacinação era contra o vírus da zika. Três cães da mulher foram “vacinados” pelo falso veterinário.

De acordo com a delegada Elizabete Kaoru Shimomura, em entrevista dada ao G1, a denunciante contou que antes de permitir que seus cães fossem vacinados, ela não perguntou o preço.

Publicidade
Publicidade

Depois do procedimento, o homem cobrou R$ 110 pelas três “vacinas” aplicadas. A família não tinha como pagar e decidiu chamar a polícia. O homem foi preso e, segundo a delegada, este mesmo indivíduo tem um histórico grande em práticas semelhantes.

Donos que permitiram que os cães fossem “vacinados” contra zika pelo falso médico veterinário estão preocupados, pois ninguém sabe qual a substância aplicada nos animais. Algumas ampolas foram apreendidas pela polícia e a substância será investigada.

Até o momento, nenhum animal teve reação após a aplicação do produto. O falso médico veterinário foi encaminhado ao Presídio Estadual de Agudo.

Não existe vacina contra o vírus da Zika para animais, pois eles não são acometidos pela doença. Cães e gatos também não têm dengue nem chikungunya.

Falso veterinário foi preso no Amazonas

No dia 12 de maio outro falso veterinário foi preso pela polícia do Amazonas.

Publicidade

Desta vez, a prisão só pôde ser feita graças à denuncia de uma cliente. A mulher, que levou o animal de estimação à clínica, desconfiou dos procedimentos adotados pelo falso médico veterinário.

Desconfiada, procurou o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas, que acionou a polícia para efetuar a prisão. O homem será autuado em cinco artigos. #Crime #Casos de polícia