Alexandre de Moraes, atual Ministro da Justiça, teve uma verdadeira prova de fogo antes de receber o cargo das mãos do presidente em exercício Michel Temer. Ainda como Secretário de Segurança do Estado de São Paulo, ele uniu policiais da sua extrema confiança para investigar um caso de segurança nacional, a invasão do celular da agora primeira-dama, Marcela Temer. De acordo com informações do site da Revista Veja em reportagem publicada neste sábado, 21, Marcela teve o seu celular clonado por um hacker. O criminoso conseguiu recuperar algumas fotos íntimas da bacharel em direito. Em algumas delas, a loira que é 43 anos mais nova que o marido aparece usando apenas lingerie.

Publicidade
Publicidade

Não se sabe se as fotos foram tiraras para enviar ao marido ou para simples registro. Elas agora estão nas mãos da polícia, que até a finalização do inquérito na justiça deve destruir todas as provas.

O nome do hacker é Silvonei José de Jesus Souza, de 35 anos. O ataque ao celular de Marcela, segundo a apuração da política, não teria conotação política. O hacker teria chegado sem querer ao nome de Marcela ao ter acesso a um HD pirada de assinantes de um portal da internet. Inicialmente, ele extorquiu R$ 15 mil do irmão da esposa de Temer, Karlo Tedeschi. Ao descobrir que Marcela era, na verdade, mulher do atual presidente, ele decidiu aumentar o valor pelo seu silêncio e se deu mal. O hacker queria R$ 300 mil, dizendo que poderia comprometer a vida de Marcela e se seu irmão, que tenta ingressar na vida política.

Publicidade

Além das fotos, áudios de Marcela dando conselhos para o irmão também foram recuperados. O que intriga os investigadores é o fato das conversas não serem comprometedoras. Um dos áudios, por exemplo, exibe Marcela dizendo para Karlo fazer pautas mais voltadas às pessoas necessitadas, igualando-se aos ideais de seu marido. Teoricamente, os conselhos da primeira-dama poderiam até ser bem vistos. O hacker continua preso e o processo segue em segredo de justiça. Assim deve ficar até ter suas provas destruídas.  #PT #Dilma Rousseff #Impeachment