Uma das maiores dificuldades do atual presidente em exercício, Michel Temer, foi encontrar uma mulher para assumir a Secretaria de Cultura. Propostas foram feitas a nomes como Marília Gabriela, Daniela Mercury e Bruna Lombardi. No entanto, nenhuma delas quis a responsabilidade de ficar com uma pasta deste tamanho, especialmente devido ao momento político pelo qual o país passa. O então Ministério virou Secretaria e quem assumiu é o diplomata Marcelo Calero, de 33 anos. Uma mulher acabou não sendo lembrada por Temer. Seu nome é Geisy Arruda. A então estudante universitária ficou conhecida por ser humilhada por usar um microvestido rosa. 

Em entrevista publicada nesta quinta-feira, 19, por um site da Rede Globo, Geisy reivindicou o direito de tentar administrar a cultura no Brasil. "Eu seria secretária da Cultura e tenho minhas propostas, já que ninguém quer, eu assumiria sim!", desabafou ela.

Publicidade
Publicidade

O site então questionou quais seriam as propostas, caso Temer desse essa possibilidade de vida e carreira histórico. A modelo revelou que pensa em uma gestão para mulheres da classe C, lembrando sempre de eventos para os homossexuais, que segundo ela, precisam ser melhor incluídos na sociedade brasileira. 

Geisy garante que em sua gestão os brasileiros sofreriam menos. Ela aposta em shows diversificados. Um dos seus sonhos é unir Joelma, Inês Brasil e Beyoncé no mesmo palco. Uma proposta avassaladora, especialmente porque a cantora americana tem um dos maiores cachês do mercado fonográfico mundial. 

 "Mulheres não podem ser obrigadas a se depilar e a usar absorvente se não quiserem", disse ela, que prega que a liberdade seja levada como prioridade. Enquanto Arruda coloca seu nome na boca da mídia, centenas de artistas ocupam sedes regionais do então Ministério da Cultura.

Publicidade

Muitos famosos, como Fernanda Montenegro, por exemplo, já avisaram que vão resistir. Já o peemedebista garante que não vai voltar a Secretaria para status de Ministério. No entanto, ele promete aumentar o orçamento desse setor assim que as coisas melhorarem. De acordo com as primeiras contas de Temer, o #Governo de Dilma só gastou metade do dinheiro que deveria ir para essa área.  #É Manchete! #Michel Temer