O governador em exercício do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, do Partido Progressista (PP) falou pela primeira vez nesta segunda-feira, 30, sobre o estupro coletivo de uma menina de 16 anos em uma comunidade em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Estado. De acordo com a vítima, 33 homens violentaram ela sexualmente. Em um evento da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Francisco Dornelles defendeu a pena de morte para casos com esse. Para ele, os 33 envolvidos deveriam ser assassinados pelo estado. No evento, também estavam representantes do governo do presidente em exercício Michel Temer, como o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. 

O governador em exercício do Rio de Janeiro lembrou que no Brasil não existe pena de morte, mas que por ele existiria.

Publicidade
Publicidade

Ele lembrou que o #Crime de violação sexual já era considerado hediondo pelas autoridades. Dornelles está no lugar de Luiz Fernando Pezão, do PMDB. Pezão se afastou do governo estadual para tratar um câncer no sistema linfático, parecido com o que Dilma teve no passado. Dornelles está há mais de dois meses no poder, enfrentando assuntos extremamente polêmicos, como uma greve na rede estadual de educação e a falta de dinheiro em caixa para pagar servidores. 

Dornelles disse que conversou com Fernando Veloso, Chefe do Polícia Civil. De acordo com ele, as autoridades policiais também estão indignadas com a barbárie. Ele garantiu que pediu da Polícia que haja a punição mais "violenta" prevista em lei. Em seguida, ele revelou que os estupradores desonraram o nome  do estado do Rio de Janeiro em todo o mundo, especialmente em um momento que os olhos do planeta estão todos virados para a cidade maravilhosa por conta das Olimpíadas. 

Mais cedo, em entrevista coletiva, a nova delegada do caso, Cristiana Bento, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), disse com todas as letras que tinha certeza absoluta  que aconteceu sim o crime de estupro e que o vídeo publicado na internet era a prova cabal de que a barbaridade realmente aconteceu.  #Investigação Criminal