A Parada do Orgulho LGBT (Parada Gay) de São Paulo seguia em clima tranquilo na tarde deste domingo, 29, quando um homem quebrou uma garrafa de vidro no rosto de um policial militar. Um vídeo que corre na internet mostra momentos da confusão. O caso aconteceu na Avenida Paulista, na altura da Rua da Consolação. Dezenas de pessoas aparecem se agarrando em um vídeo publicado no portal de notícias G1. Ainda não há imagens do incidente no Youtube. 

De acordo com informações preliminares, tudo aconteceu quando dois policiais faziam a prisão de um homem suspeito de roubar celulares. Ele resistia à prisão no meio da multidão Nesse momento, um homem negro com um boné #Crime atingiu um dos policiais.

Publicidade
Publicidade

O criminoso utilizava uma camisa azul de botão. Ele deu uma garrafada do profissional de segurança. Estilhaços da garrafa pegaram em outras pessoas que estavam na confusão. O agressor não teve o nome revelado, mas foi detido. Momentos depois, o G1 publicou fotos do policial sangrando. 

Segundo informações da assessoria de comunicação da Polícia Militar, três homens foram detidos e levados para uma delegacia próxima à região. Segundo os organizadores do evento, mais de duas milhões de pessoas estavam na Avenida Paulista. A Polícia não divulgou uma medição do número de simpatizantes que estiveram na Parada. 

Mais cedo, bem longe da confusão, a modelo transexual Viviane Beleboni, de 27 anos, causou polêmica ao fazer um protesto contra a "bancada fundamentalista" do Congresso Nacional. Com um livro simbolizando uma bíblia em sua fantasia, ela causou discussões nas redes sociais.

Publicidade

No ano passado, a mesma modelo havia sido crucificada em cima de um trio elétrico. Ao jornal 'O Estado de São Paulo', Viviany revelou que tem sofrido ameaças de morte por conta da fantasia que lembra a religião, mas que falará de religião quantas vezes forem necessárias.

Em grupos dedicados aos homossexuais, a transexual recebeu bastante apoio e teve imagens compartilhadas. Deputados criticados por ela ainda não comentaram o protesto. #É Manchete!