O advogado de um dos homens, que divulgou imagens da vítima de estupro coletivo, disse que ele não sabia do que se tratada. De acordo com o advogado Igor Luiz Carvalho, o homem também não imaginava que a vítima era menor de idade e ele não acha que ter divulgado as imagens seja motivo para que o rapaz seja preso.

O advogado defende estudante Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos, cuja prisão preventiva foi solicitada nesta quinta-feira (26). Segundo ele, o homem que divulgou as fotos do estupro coletivo ficou assustado com a repercussão do caso e disse que o pedido de prisão é “descabido”.

De acordo com ele, o suspeito não conhece a vítima e recebeu as imagens em um grupo de Whatsapp e fez “uma brincadeira extremamente grotesca”.

Publicidade
Publicidade

Ele chegou a dizer que iria acompanhar o jovem para se apresentar à Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), mas depois que soube que a polícia solicitou à justiça a prisão do suspeito, recuou.

Agora, o advogado vai tentar habeas corpus, para depois levar o rapaz até a delegacia. Segundo o profissional, Marcelo achou que a vítima tinha sido fotografada nua porque ela mesma queria. A família do suspeito está arrasada e q mãe, segundo o advogado, não concordou com as ações do filho.

Marcelo é um dos quatro homens que a polícia quer que seja preso. Foi ele o responsável por postar imagens tiradas da adolescente, após ser estuprada por 30 homens. Michel Brazil da Silva, de 20 anos, também divulgou as imagens. A polícia já pediu à Justiça a prisão do suspeito. Os perfis usados para divulgar o ato foram apagados por eles, após a repercussão do caso.

Publicidade

O namorado da vítima, Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, também está com a prisão solicitada pela polícia. Ele é suspeito de participar do #Crime. Segundo a avó da garota, em entrevista dada ao jornal Extra, ela contou que ele achava que havia sido traído, por isso, o estupro coletivo aconteceu.

O quarto homem identificado foi Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, que tirou uma selfie com a vítima nua, desacordada e sangrando, após ter sido estuprada por mais de 30 homens. #Investigação Criminal #Casos de polícia