De acordo com informações da procuradoria-geral da República, o Senador Delcídio do Amaral, atualmente sem partido, teria entregado provas contra o ex-presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva que comprovariam o envolvimento deste na tentativa de atrapalhar as investigações da Lava Jato. Segundo o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, Delcídio entregou diversos documentos que fazem esse indicativo e que uma investigação mais ampla só pode agora ser autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Além de #Lula, as delações de Delcídio complicaram a vida da presidente Dilma Rousseff e também do Advogado-Geral da União, José Eduardo Cardozo. 

A declaração de Janot foi dada nesta quarta-feira, 04, segundo informações do UOL.

Publicidade
Publicidade

A revelação foi feita um dia depois da imprensa noticiar o pedido do procurador ao STF, querendo que esse abra um inquérito contra o petista, Dilma e Cardozo. A denúncia é calcada no crime de obstrução de justiça. Caso o Supremo aceite a acusação, a presidente também será averiguada, mesmo tendo foro privilegiado. Além da delação de Delcídio, o fato de Rousseff ter nomeado um dos maiores líderes do Partido dos Trabalhadores (PT) como Ministro da Casa Civil, também complicou a vida dos representantes petistas.

Uma das delações do Senador delator envolve um suposto encontro dele com Lula em São Paulo, que aconteceu em maio do ano passado. Nesse encontro, o companheiro político de #Dilma Rousseff teria dito que era preciso fazer alvo para evitar a delação de Nestor Cerveró. Um acordo com o banqueiro foi tentado, mas ele acabou declinando, fazendo a compra do silêncio não funcionar.

Publicidade

O objetivo do ex-presidente da república seria ajudar a proteger o pecuarista José Carlos Bumlai. 

Em um pronunciamento dado nesta quarta na entrega do Plano Safra, Dilma acusou Amaral de falar apenas mentiras. Ela disse que tais acusações precisaram ser melhor averiguadas, mas não explicou as suspeitas que são feitas contra seus companheiros, tampouco as delações que envolvem seu próprio nome.  #Impeachment