Nesta terça-feira, 03, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) que autorize a investigação de uma denúncia contra o ex-presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva. Não demorou muito para que o momento, considerado histórico, fosse comemorado por diversos parlamentares. Um dos maiores opositores do líder petista é o deputado federal Pauderney Avelino, eleito pelo Democratas no Amazonas. Líder do partido na Câmara, Pauderney comemorou a decisão e desabafou em uma entrevista dada ao UOL. "#Lula não está acima da Lei", disse ele. O pedido de Janot é embasado na delação premiada do Senador Delcídio do Amaral, atualmente sem partido, eleito pelo Mato Grosso e que sofre um processo de cassação no Senado

Para Pauderney, a denúncia oferecida por Rodrigo Janot prova que nenhum brasileiro está acima da legislação vigente no país.

Publicidade
Publicidade

De acordo com ele, a atitude mostra ainda que as instituições brasileiras são sólidas e funcionam. Ele ainda disse que o momento era de orgulho pelo trabalho exercido pelos policiais federais e também pelo Ministério Público. Lula é suspeito de ter influenciado envolvidos na Lava Jato e também sofre uma apuração do MP de São Paulo, que quer saber qual é o envolvimento do Tríplex do Guarujá com o petista versus sua relação com a empreiteira OAS.

Dilma fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 04, durante o lançamento do Plano Safra, que envolve o Ministério da Agricultura, e aproveitou para falar sobre as denúncias de Delcídio do Amaral. De acordo com ela, as explicações dadas pelo Senador são mentirosas e não tem qualquer base. Além de Lula, Janot também pediu que o STF autorize investigação contra a própria presidente da república, que teria obstruído os trabalhos da Lava Jato.

Publicidade

Quem também pode virar alvo do STF é o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo. O pedido contra ele é pelo mesmo motivo. Cardozo atualmente faz a defesa de Dilma no Senado, tentando ajudá-la com o processo de impeachment.  #PT #Dilma Rousseff