Por volta das 13h (horário de Brasília), o ex-jogador de futebol Diego Maradona, que por muito tempo fez piadas com os brasileiros por causa de futebol e principalmente de seu maior rival durante a época dos gramados, Pelé, decidiu conferir o seu apoio à #Dilma Rousseff e #Lula.

Através de sua página no Facebook, Maradona afirmou ser soldado de Lula e Dilma e marcou a petista na publicação, que foi escrita em espanhol, italiano e inglês. Ao ver a marcação de Maradona, Dilma ou alguém de sua equipe, realizou uma outra publicação para agradecê-lo.

Dilma também quis escrever a publicação em três idiomas, mas acabou trocando o italiano pelo português.

Publicidade
Publicidade

Internautas fizeram piadas na internet com a eficiência de Dilma em escrever em três idiomas após o afastamento.

A troca de mensagens calorosas geraram alegria nos esquerdistas e repúdio de direitistas em geral, que expressaram suas respectivas opiniões nas redes sociais. Dilma agradeceu o apoio e mandou um beijo para o ex-craque, que por sua vez aprecia regimes de esquerda e é muito próximo de Nicolás Maduro, da Venezuela e dos Castro, de Cuba.

A foto

Na fotografia divulgada pelo argentino, ele aparece segurando uma camiseta do Brasil com o nome de Lula e o número 18, referindo-se às eleições de 2018, onde Lula, se não for condenado no atual processo criminal que responde ou em possíveis denúncias da Lava Jato, pretende se candidatar para 'salvar' o Brasil.

O jogador não marcou Lula na foto, apenas Dilma Rousseff, mas o petista também retribuiu o 'apoio' e afirmou em uma outra publicação que a 'América Latina veste a camiseta da democracia'.

Publicidade

Nessa semana o Paraguai e a Argentina se posicionaram, oficialmente, a favor do atual governo do Brasil e não reconheceram a tese do golpe. No encontro da OEA, o representante do Paraguai fez um discurso defendendo o impeachment de Dilma, causando revolta em venezuelanos, cubanos e bolivianos presentes no local.

Maradona x A Direita

Diego Armando Maradona é esquerdista e embora tenha tentado evitar se misturar com a política de seu país, há dois meses participou de um programa esportivo onde criticou o republicano Maurício Macri, que é presidente da Argentina desde o ano passado. #Futebol Internacional