O pastor da Igreja evangélica Vitória em Cristo, Silas Malafaia, usou o seu perfil oficial nesta terça-feira, 23, para comentar o afastamento do Ministro do Planejamento, Romero Jucá, do PMDB. O político foi afastado depois de um áudio ser divulgado no qual ele aparece falando da conjuntura da crise. A fala de Romero parece ser contra as investigações da Lava Jato. A oposição, entenda-se nesse momento como a base do Partido dos Trabalhadores, fala que a conversa flagrada mostra como o golpe contra a presidente afastada Dilma Rousseff foi afastada.

"Nada como um dia após o outro. Se Temer voltou atrás em relação ao Ministério da Cultura, se não demitir Romero Jucá irá ficar desmoralizado.

Publicidade
Publicidade

É imoral continuar assim", publicou no microblog de 140 caracteres o religioso que se posicionou em diversos momentos contra a permanência de Dilma Rousseff no poder. Ele chegou a organizar a chamada 'Marcha para Jesus', que além de muitas orações também foram permeadas de atos políticos. Na época, Malafaia afirmou que ele era contra Dilma, mas que o ato era religioso, o que não significava, no entanto, que qualquer pastor estivesse proibido de dar sua opinião sobre um assunto importante para todos os brasileiros, inclusive, os evangélicos. 

Não é a primeira vez que Silas Malafaia se manifesta politicamente. Essa tem sido a conduta dele e de outros líderes religiosos, mas também de artistas. O fim do Ministério da Cultura citado por Malafaia rendeu a maior polêmica da primeira semana de governo de #Michel Temer, nada comparado com o áudio divulgado, cujo teor acabou sendo em sua grande maioria de opiniões contrárias a Romero Jucá. 

Avalia-se que o afastamento neste momento não é suficiente.

Publicidade

Isso porque o Senador continua sendo Ministro e com foro privilegiado, ou seja, todas as investigações sobre ele só podem ser coordenadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). É bom dizer que mesmo que saísse do cargo definitivamente, o foro continuaria, pois antes de Ministro, como dissemos, Jucá é Senador, cargo que também tem o poder de foro excepcional.  #PT #Impeachment