A adolescente que foi vítima de estupro coletivo no Rio de Janeiro está triste, acuada e “presa” em casa. A jovem, que denunciou que foi abusada por mais de 30 homens em uma comunidade da Zona Oeste do Rio, deu entrevista para o programa da rede Globo, “Fantástico”.

A conversa com a menor de idade foi transmitida neste domingo (29). A jovem contou que vem sendo ameaçada de morte na internet e que se sentiu desrespeitada na internet. A menina contou que não terminou o último depoimento e disse que o próprio delegado a culpou de ter sofrido estupro coletivo.

Depois de perguntas constrangedoras, a adolescente pediu para interromper o depoimento que estava sendo dado para o delegado titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), Alessandro Thiers.

Publicidade
Publicidade

A menina conta que não pode sair de casa e que tem muito medo. “Me sinto praticamente em cárcere privado”, desabafa a vítima. Segundo ela, quando entrou no Facebook viu mais de 900 mil mensagens e, algumas delas, com ameaça de morte.

Ela disse que já tinha ido até a comunidade algumas vezes, mas nunca tinha passado por nada assim lá.   A menina também deu detalhes do momento de horror pelo qual passou e contou que acordou com um menino embaixo dela, um em cima e dois a segurando. Quando viu, começou a chorar e notou que estava rodeada de homens armados que a ofendiam. O local era muito sujo.

Ela diz que não usou droga e fala que acredita que estava dopada, pois havia muita gente no local e certamente ela teria acordado antes, se não estivesse dopada.

Depois de contar um pouco sobre a forma que foi atendida na delegacia e sobre os momentos de horror que passou, foi perguntado a ela o que ela deseja para os homens que a violentaram.

Publicidade

Ela disse que gostaria que eles tivessem uma filha mulher.  

Neste domingo, o caso foi retirado do delegado Alessandro Thiers. A investigação agora ficará a cargo da delegada da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), Cristiana Onorato. Uma coletiva de imprensa deve ser dada nesta segunda-feira (30). #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia